O jornal impresso está na UTI?

Por Gilberto Jasper, para Coletiva.net

Recentemente bati um papo com profissionais de imprensa do Vale do Taquari. Duas perguntas surgiram: 1) O jornal impresso vai acabar? 2) Diploma: sim ou não?

Vou me deter na questão dos jornais, uma paixão de 40 anos. Apesar da experiência em rádio, a imprensa escrita me fascina. Guardo lembranças de experiências como 'aprendiz de jornalista' ao lado das impressoras de O Informativo do Vale, de Lajeado, e da Gazeta do Sul, de Santa Cruz do Sul.

Ainda 'foca', passava a noite à espera da rodagem da edição. O cheiro de tinta continua na memória, além do ruído das linotipos - equipamento jurássico! -, ao lado da imagem dos fardos de jornais acondicionados por tiras plásticas para serem levados transportados.

No papo com os amigos admiti que tem sido difícil encontrar novidades impressas. Acordo às 6h e leio o Correio do Povo, Jornal do Comércio e Zero Hora. Para quem acompanha o noticiário o dia inteiro é difícil ser surpreendido. Vislumbro dois caminhos para os jornais: investir na análise ou na projeção. Isso requer investimentos vultosos na contratação de especialistas dotados de capacidade para comunicar.

Infelizmente, os veículos pagam pouco a profissionais que são multimídia, mas recebem 'unissalário'. Devem redigir filmar, postar, twitar e fazer boletins para rádio e TV. Manter uma equipe e, ao mesmo tempo, contratar especialistas exigiria muita criatividade financeira.

Talvez, a forma tradicional de fazer jornal se mantenha ou até seja extinta. Trissemanários que se tornaram diários pensam em retornam à periodicidade original. Grandes veículos unificaram as edições de fim de semana e novas mudanças devem surgir.

Manter um veículo impresso exige persistência, criatividade e apurado planejamento para não sucumbir à avalanche de despesas. Tomara que o jornal se mantenha. Ainda existe muita gente que gosta do chamado 'textão', das reportagens de fôlego e de fotos criativas que sensibilizam.

Vamos torcer!

Gilberto Jasper é jornalista e consultor em Comunicação.

Comments