O novo mundo conectado exige negócios em cenário digital

Por Cristina Forte, para Coletiva.net

Vender um carro preto para quem busca casulo móvel colorido pode ser equiparada a comercialização de alta tecnologia a uma comunidade tribal. Philip Kotler, considerado o pai do marketing no planeta Terra, lançou recentemente seu novo livro, sob o título Marketing 4.0. A obra apresenta com clareza cinematográfica  as  principais mudanças na prática de marketing no cenário atual.

Porém, e sempre há um porém, cabe retomar que antes do 4.0 houveram o 1.0, 2.0 e o 3.0, lembra disso? Foi ele, o Prof. Kotler que definiu e caracterizou essas três eras do marketing. Uma viagem no tempo nos permite relembrar  que cada  uma das evoluções  apresentou importantes mudanças para o mercado, de modo que justificasse esse salto, a ponto de definir uma nova fase.

O todo poderoso, senhor produto

A primeira versão do marketing, o 1.0, tinha como foco o produto. O maior exemplo dessa era foi o fordismo e uma famosa frase de Henry Ford:

- O cliente pode ter o carro da cor que quiser, desde que seja preto

Vez e voz do cliente

Em um segundo momento, o foco se voltou para o cliente, principalmente por seu maior nível de informação. Assim, com mais concorrência, as marcas tiveram de dar atenção ao público, que podia escolher como queria o produto e quanto estava disposto a pagar.

Valor da marca

A terceira era, o marketing 3.0, é sobre os valores da marca. A ideia é apresentar uma imagem humanizada do marketing. Essa necessidade surge porque o consumidor passou a querer um tratamento mais humano.

O digital comanda o espetáculo

Já o marketing 4.0 objetiva convergir tecnologias para um atendimento cada vez mais personalizado e autêntico. Ou seja, os valores do marketing 3.0 ganharam o acréscimo das ferramentas de tecnologia e da comunicação presentes no mundo atual.

Como aplicar o 4.0

O marketing 4.0 aborda a inclusão digital - suas possibilidades e os desafios que surgem no ambiente online. Cujas principais características são:

  • o consumidor é mais distraído e tem menos tempo;
  • o humor do público importa;
  • o marketing tradicional se une ao digital;
  • o marketing é omnichannel (vários meios para compra);
  • ele valoriza a experiência do consumidor;
  • ele integra o consumidor e a marca;
  • ele usa as redes sociais;
  • ele analisa dados;
  • ele inclui os aplicativos;
  • ele usa gamification.

É importante entender que, hoje, os consumidores têm uma relação mais horizontal e próxima com as marcas e os produtos. Dessa forma, é fundamental desenvolver e compartilhar histórias significativas que reforcem esse relacionamento.

Os relatos, as experiências e as resenhas sobre as marcas fazem que os consumidores passem a ditar o jogo. A maioria deles procura boas referências antes de consumir, o que ressalta ainda mais a importância desse relacionamento.

Mudança drástica

Entre todas as mudanças, a mais drástica foi a do ambiente digital em que o marketing passou a acontecer.

Buscar aproximar a marca dos consumidores talvez seja o desafio mais inspirador do marketing 4.0.

Leitura essa que super recomendo!

Good lock.

Cristina Forte é publicitária e jornalista. Consultora em Comunicação Empresarial e Institucional e coordenadora de Projetos Especiais da Zup Brasil.

Comments