Rescaldos da batalha do WhatsApp

Por Flavio Dutra

Crise séria ou outra trapalhada do governo Bolsonaro? O mais importante do episódio que resultou na queda do primeiro ministro (não confundir com primeiro-ministro) do novo governo é o que se pode depreender dele. Aqui, alguns apontamentos ligeiros:

 - Bolsonaro tem preferência por se enredar no WhatsApp.

- E, afinal, mensagem é conversa?

- Agora é oficial: Globo e Bolsonaro estão em guerra.

- A vantagem da Globo é que a guerra tem prazo para terminar:2022.

- Já tem gente apostando que pode ser até antes.

- A Folha prestou um serviço a Bolsonaro ao ajudar a defenestrar um ministro que estava incomodando.

- Idem, a Veja.

- Alguém duvida que foi o Bebianno quem vazou os áudios? 

- Merece o título Vazador Geral da República, que pertencia a Sergio Moro na Lava Jato.

- A diferença entre o Bebianno e o ministro do Turismo, também envolvido em laranjal, é a trairagem.

- O general Mourão parece estar se divertindo com tudo isso.

- Anotem: o vice vai começar a aparecer com mais frequência nos telejornais da Globo.

- A esquerda apoiando a Globo, que momento!

- O pior efeito das trapalhadas governamentais é que os apoios parlamentares passam a custar mais caro.

- O general porta-voz é muito educado, mas a verdadeira especialidade dele é escapar de perguntas incômodas.

- Descobriu-se que o PSL pagava mulheres com o fundo partidário, mas não é o que vocês estão pensando.

- O vazamento revelou que Bolsonaro é bom de mijada nos auxiliares.

- Os filhos do Lula foram mais espertos que os do capitão: só enriqueceram, sem se meter com a política

- No pomar governamental, sai a goiabeira da Damares e entra o laranjal do Benianno, mas é tudo abacaxi para o presidente.

A verdade é que de tédio não se morre na República de Bolsonaro, mas logo o episódio fica sobrepujado por outro imbróglio provocado pelo próprio governo ou por uma "ameaça" externa. A Venezuela...

Autor
Flávio Dutra, porto-alegrense desde 1950, é formado em Comunicação Social pela Ufrgs, com especialização em Jornalismo Empresarial e em Comunicação Digital. Em mais de 40 anos de carreira, atuou nos principais jornais e veículos eletrônicos do Rio Grande do Sul e em campanhas politicas. Coordenou coberturas jornalísticas nacionais e internacionais, especialmente na área esportiva, da qual participou por mais de 25 anos. Presidiu a Fundação Cultural Piratini (TVE e FM Cultura), foi secretário de Comunicação do Governo do Estado, da Prefeitura de Porto Alegre, superintendente de Comunicação e Cultura da Assembleia Legislativa do RS e assessor no Senado. Autor dos livros 'Crônicas da Mesa ao Lado' e 'A Maldição de Eros e outras histórias', integrou a coletânea 'DezMiolados' e foi coautor com Indaiá Dillenburg de 'Dueto a dois é sempre melhor'.

Comments