O bom desassossego

Um dia todo de reflexão, de pessoas engajadas em pensar e produzir melhor e tentar entender o que vem pela frente, para ? pelo …

Um dia todo de reflexão, de pessoas engajadas em pensar e produzir melhor e tentar entender o que vem pela frente, para - pelo menos - não ser pego de surpresa. O Congresso de Marketing da ADVB trouxe isso. Incentivou as pessoas a terem iniciativa, a saírem da sua zona de conforto e de se tornarem ainda mais inquietas.
Não é novidade nenhuma que tudo está mudando, que não temos mais como segregar consumidores como fazíamos há poucos anos. Os nossos filhos, como bem lembrou Piangers, nem assimilam bem o velho jeito de fazer propaganda. Tá tudo diferente e todos - profissionais e consumidores - precisam aceitar e dar um jeito de não ficar para trás. Antonio Tabet, do Porta dos Fundos, lembrou que a vida é feita de marcas e que o paradigma de que se não paga anúncio não pode ser citado, faz todo mundo ser tirado para bobo. Eles - do Porta - tiram uma onda disso e conseguem ser sensacionais no humor que produzem.
Muitos citaram os incômodos de agências tradicionais de propaganda com essas maluquices que estão sendo criadas. Na verdade, todos estão meio perdidos, o que cria uma baita oportunidade para produzirmos novos caminhos.
Ainda estou encantada com a simplicidade e com a genialidade de Geraldo Rufino. Cuidar das pessoas é o lema de vida dele. Em poucos minutos da sua apresentação, mostrou que não há qualificação ou dinheiro que substitua um olho no olho, um bom dia para o porteiro e um sorriso para a moça do cafezinho. "Eu cuido das pessoas porque gosto disso. E elas cuidam de mim e do meu negócio. É simples. É uma troca que não tem como não dar certo". A explanação dele foi ótima para relembrar que antes de grandes investimentos - na contratação ou algo parecido - de nada vale se não tiver gente a fim de fazer.
Essa vontade de fazer o bem ao outro, de ser gentil, de pensar, repensar e começar de novo e de estar disposto a aceitar o novo, foi dito por quase todos os palestrantes. A experiência não conta sempre, mas a vontade sim. Saí de lá com uma sensação de que coisas boas estão por vir e que será ainda mais legal trabalhar com esse mundo mágico de comunicar.

Autor
Grazielle Corrêa de Araujo é formada em Jornalismo, pela Unisinos, e Pós-graduada em Marketing de Serviços, pela ESPM. Atualmente cursa MBA em Propaganda, Marketing e Comunicação Integrada. É a responsável pela Comunicação Social do IPERGS. Atuou ainda na comunicação da Martins + Andrade, Uffizi, CDL Porto Alegre, Centro, Palácio Piratini e Assembleia Legislativa. É apaixonada por escrever, acredita na comunicação integrada e estuda para se tornar ? também ? profissional em Planejamento. Tem o site www.graziaraujo.com.

Comentários