Daqueles que dá gosto de assessorar

Se tem uma coisa que motiva a vida de um assessor é ter um assessorado que se preze. Ah, como é bom alguém que …

Se tem uma coisa que motiva a vida de um assessor é ter um assessorado que se preze. Ah, como é bom alguém que conhece os jornalistas, que sabe falar no seu tempo, que encontra disponibilidade na agenda para encaixar uma entrevista e que reconhece o papel da imprensa. Dá gosto de estar por trás de pessoas assim. Tudo flui, tudo conspira e a inspiração para criar novas pautas é consequência desse ciclo.
Esse tipo de assessorado, que transmite credibilidade, confiança e é respeitado pelos colegas jornalistas, facilita tanta coisa que ele nem imagina. As preocupações de quem faz o trabalho acontecer, são outras - as que sempre deveriam ser, na verdade. O foco é voltado totalmente para a comunicação, sem precisar se preocupar se ele vai gaguejar ou tornar a entrevista entediante. Claro que isso acontece, na maioria das vezes, pela experiência que a pessoa teve ao longo de toda trajetória profissional e pelo trabalho dos assessores anteriores. Mas também vejo muito como uma disposição para acertar.
Com isso, ganha a imagem da instituição que ele representa, ganha a equipe de comunicação que fica sem medo de errar e tende a marcar vários golaços, ganha a sociedade de ter informação de verdade e o repórter que ganha tempo e uma boa repercussão da sua pauta.

Autor
Grazielle Corrêa de Araujo é formada em Jornalismo, pela Unisinos, e Pós-graduada em Marketing de Serviços, pela ESPM. Atualmente cursa MBA em Propaganda, Marketing e Comunicação Integrada. É a responsável pela Comunicação Social do IPERGS. Atuou ainda na comunicação da Martins + Andrade, Uffizi, CDL Porto Alegre, Centro, Palácio Piratini e Assembleia Legislativa. É apaixonada por escrever, acredita na comunicação integrada e estuda para se tornar ? também ? profissional em Planejamento. Tem o site www.graziaraujo.com.

Comentários