Relações recíprocas são sempre as melhores

Adoro quando algo de fato acontece e vira inspiração para a coluna da semana. Hoje é dia de falar da relação assessor e produção. …

Adoro quando algo de fato acontece e vira inspiração para a coluna da semana. Hoje é dia de falar da relação assessor e produção. Sobre a parceria, o reconhecimento, a liberdade de dizer sim ou não, o respeito mútuo e a alegria de criar esses laços. Não sei se é pela facilidade de comunicação, por propor boas pautas ou ter fontes que falam como o povo gosta, mas eu tenho feito grandes parcerias ao longo deste tempo como assessora.
A saúde da relação se dá a partir do momento que um se coloca no lugar do outro. Quem ta na produção tem uma luta diária contra o relógio, em busca de boas pautas, cases, entrevistados, equipe e edição até o respiro de quando a matéria é veiculada. Só de escrever, já dá para ter uma noção desta loucura (e da cachaça que é o jornalismo).
Do lado de cá, como assessora, tem várias situações que precisamos aprender a lidar. Quando a pauta acontece naturalmente, por exemplo, as coisas fluem mais fácil. O assessorado já sabe, o assunto tá na ponta da língua e daí só vai. Mas quando a pauta vem do veículo, o buraco pode ser mais embaixo. Dependendo do assunto, tem que ter informações de diferentes setores para mandar a resposta certa (e tem casos que isso demora quase uma eternidade), às vezes um certo convencimento para conceder entrevista e a mesma busca contra o tempo da produção.
Tem aqueles casos - que a assessora que vos escreve enche o coração de alegria, que a produção, ao começar a montar uma pauta, lembra de ti. Todo o meu amor para momentos como esses. Ah, sem esquecer daqueles que não tem nada a ver com nenhum dos teus clientes, mas a busca por fontes em outra matéria, faz aquela chamada de socorro no whats. E quando a gente consegue ajudar? Uma das melhores partes dessa relação!
O bom desta correria toda é, sem dúvida, o resultado final. Para assessoria, quando a pauta é positiva, daí fica perfeito. Para produção, quando ajudamos de alguma forma, também fica bom. O meu desejo é por mais relações sinceras e eficientes como essas.

Autor
Grazielle Corrêa de Araujo é formada em Jornalismo, pela Unisinos, e Pós-graduada em Marketing de Serviços, pela ESPM. Atualmente cursa MBA em Propaganda, Marketing e Comunicação Integrada. É a responsável pela Comunicação Social do IPERGS. Atuou ainda na comunicação da Martins + Andrade, Uffizi, CDL Porto Alegre, Centro, Palácio Piratini e Assembleia Legislativa. É apaixonada por escrever, acredita na comunicação integrada e estuda para se tornar ? também ? profissional em Planejamento. Tem o site www.graziaraujo.com.

Comentários