Compartilhar faz bem

Já falei por aqui que sou a louca do compartilhamento, né? Tudo que eu leio e que acho interessante, seja para a equipe da agência ou para algum amigo, eu trato de colar o texto num e-mail ou mandar o link para o grupo do Whatsapp. Não importa o assunto. Se fala de negócios, de rede sociais, de fake news, de jornalismo, de PR, de Publicidade ou de astrologia. O que importa é saber quem se interessa pelo o quê e o valor da informação que está sendo passada. Não se compartilha qualquer coisa. Ok, algumas vezes a gente compartilha umas besteiras que nem sabe o porquê. Ou, pelo menos, sabe que alguém vai dar uma risada do outro lado da tela.

Mas voltando ao assunto compartilhamento, eu frequento alguns lugares no qual essa troca é constante: o trabalho, a faculdade onde estudo, os cursos nos quais dou aula, os encontros com os amigos e por aí vai. Mas tem um "lugar" em especial que eu tenho frequentado nos últimos tempos que potencializa essa tal coisa chamada compartilhamento de conhecimento. Este "espaço" é o Share. Nome sugestivo, não? Caso não tenha entendido, é só dar um Google Translator que tudo se resolve. E, no final da última semana, tive mais algumas provas de como o Rafael Martins e sua equipe fazem de tudo para que a gente saia de um evento/curso deles cheio de vontade de sair compartilhando tudo por aí. Na verdade, esse estímulo vem durante o evento mesmo. As redes sociais, principalmente o Twitter, foram inundadas da #share2018poa na última sexta-feira, 23, e no sábado, 24.

Teve papo sobre Twitter, social listening, social media, fake news, integração de on e off-line, sobre como otimizar vídeos, sobre o que é relevante ou não em criação. Isso só no primeiro dia do Share Talks, na ESPM-Sul, aqui em Porto Alegre. No segundo, fiquei acompanhando o compartilhamento nas redes sociais o que dava uma enorme vontade de estar presente por lá. Mas mesmo não estando, conseguia ter uma amostra bem significativa de toda a troca de conhecimento que acontecia entre palestrantes e participantes. É por isso que sempre penso em investir em algum evento ou curso, acabo sempre indo beber na fonte do Share primeiro.

Não, isso não é um #publieditorial. É apenas a certeza que, com a assinatura do Share, sempre vai ter um profissional bacana palestrando ou te ensinando algo. E ainda tem a troca entre os participantes que sempre são de diversas áreas, com caminhos profissionais e pessoais completamente diferentes. Sempre digo que por mais que eu não trabalhe diretamente com alguma área, estudo um pouco mais sobre o assunto para poder ter como diferenciar trabalhos e até mesmo contratar profissionais da área. Fora quando eles chamam uma Ana Paula Passarelli para o Share Talks, como aconteceu no ano passado, e tu acabas selecionada para uma mentoria coletiva com ela. Como não amá-los? Assim como eu tuitei durante o evento na sexta que o Twitter é <3, Share também é <3, e de longa data!

Autor
Jornalista, formada pela Universidade Federal de Santa Catarina, especialista em Marketing e mestre em Comunicação - e futura relações públicas. Há 15 anos, atua em assessoria de imprensa, comunicação corporativa, produção de conteúdo e relacionamento. Possui experiência no atendimento de clientes, públicos e privados, das áreas de educação, moda, gastronomia, entretenimento, música, varejo, construção civil, setor moveleiro, automobilístico e instituições financeiras. Tem passagens pela Secretaria de Educação do Rio Grande do Sul, e, na área cultural, fez a divulgação de mais de 30 shows nacionais e internacionais na capital gaúcha. Atualmente, é Gerente de Atendimento na CDN Sul e integra a diretoria da ABRP RS/SC.

Comentários