Coração de estudante

Na última semana, fui convidada pelo pessoal da CDN de São Paulo, a escrever sobre um dos pilares da cultura do Grupo ABC com o qual eu mais me identificava para uma plataforma de comunicação interna. Entre pontos sobre ética, sucesso, alta performance, valorização da equipe e diversidade, escolhi o que fala sobre ser um grupo que está em permanente transformação: ser always beta. Por isso, compartilho o que preparei para os meus colegas e amplio um pouco a reflexão sobre estar sempre querendo mudar e aprendendo um pouco mais.

Volta e meia alguém me pergunta se eu não vou parar de estudar. Mas parar por que e para quê?, pergunto eu. Eu tenho um bichinho que fica me corroendo cada vez que fico um tempo maior sem estar dentro da sala de aula. E não estou falando de cursos de curta duração, mas de algo mais extensivo. Foi por isso que, depois de ter feito Jornalismo, um MBA e um Mestrado, resolvi enfrentar uma graduação novamente, desta vez em Relações Públicas. E, é claro, que sem deixar de lado eventos de final de semana e intensivos.  Inclusive, encontrei uma colega de mercado ontem com a qual fiz um curso não faz muito tempo e, depois de perguntar se eu estava bem, já emendou questionando se estava fazendo algo de novo.

Com o mundo girando tão rápido, não tem como ficar parado esperando as coisas acontecerem para depois correr atrás. Para mim, o ideal é antecipar ou, no máximo, acompanhar o andar da carruagem. E cada vez que eu entro numa sala de aula, desta vez como professora, saio com mais certeza de que eu tenho muito a aprender, a troca de conhecimento me faz sair com mais dúvidas do que certezas. Por isso, eu acho que tenho que estar em constante construção. Fico extremamente decepcionada quando alguém comenta que não gosta de estudar ou diz que consegue se atualizar pelo Google. Claro que não precisa ter toda a paixão que eu tenho pela sala de aula, mas um cursinho de atualização, inclusive online, nunca fez mal a ninguém.

E, nestes dois anos de CDN (e outros três de BH Comunicação), encontrei espaço para atender a essa minha necessidade de nunca parar. De estar em constante movimento, com horários mais flexíveis e algumas trocas de turno, ficando fora alguns dias para participar de eventos em outros estados, como a Social Media Week, e por aí vai. Assim, consigo me organizar inclusive para enfrentar outros desafios nos quais aprendo constantemente, como ser professora visitante em pós-graduações por aqui, ser colunista aqui no Coletiva.net e, ainda, ter tempo para fazer os trabalhos da faculdade. De uma forma geral, sempre tive sorte de estar em organizações que entendiam essa minha busca, até mesmo no Governo do Estado, quando fiz o MBA e quase todo o Mestrado trabalhando na Educação. Se bem que na hora de negociar eu sempre deixei bem claro que a minha prioridade era estudar. Sou dessas.

Vocês podem até me perguntar se eu não canso. O corpo pode até cansar, mas a alma continua leve e o coração será sempre de estudante.

Autor
Jornalista, formada pela Universidade Federal de Santa Catarina, especialista em Marketing e mestre em Comunicação - e futura relações-públicas. Possui experiência em assessoria de imprensa, comunicação corporativa, produção de conteúdo e relacionamento. Apaixonada por Marketing de Influência. Atualmente, é gestora de Relacionamento com o Mercado do Share. Também integra a diretoria da ABRP RS/SC e é professora visitante na Unisinos e no Senac RS.

Comentários