Da série: Perguntas Que Não Querem Calar

Por Flávio Dutra

O Brasil virou um país de muitas perguntas sem respostas. Aí está uma pequena amostra:

- Quem matou Marielle?

- Quem mandou matar Celso Daniel?

- Onde está o Queiroz?

- Qual o real envolvimento de Manuela D´Ávila no caso do vazamentos da Lava Jato?

- Os hackers de Araraquara ganharam ou não ganharam pelas informações ao Intercept?

- Os diálogos vazados da Lava Jato são verdadeiros ou manipulados?

- Até quando Delton Dallagnol vai resistir?

- Quem é o Pavão Misterioso, que hackeou os hackers?

- Tem ministro do STF legislando em causa própria?

- Quem financiou os advogados de Adélio Bispo?

- Por que não te calas, Jair Messias?

- Por que não te calas, Marco Aurélio Mello?

- Qual o ministro mais "esquisito": Damares, Weintraub, Ernesto Araújo, Augusto Heleno?

- A quem pertence o ouro roubado no aeroporto de Congonhas?

- Onde está esse ouro?

- Qual o destino de Lula? Continuar na prisão, usar tornozeleira, nova condenação, Lula livre?

- Por que Gleise Hofmann recebeu o codinome de Amante nas operações da Odebrecht?

- Quantas condenações ainda faltam para o Sérgio Cabral?

- Afinal, a Terra é plana ou redonda?

Sem mais perguntas, meritíssimos senhores. Por enquanto...

Aproveito o nobre espaço oferecido por Coletiva.net para um convite: nesta quinta-feira, 8, no Chalé da Praça 15, será lançada a coletânea Todos Por Um, reunindo 28 autores numa obra em solidariedade ao José Luiz Prévidi, editor  de um dos mais acessados e polêmicos blogs do Rio Grande do Sul, que foi condenado a pagar uma alta indenização em processo judicial movido por outro jornalista. O evento de lançamento contará com a presença dos autores e do próprio Prévidi, com início previsto para às 18 horas, sem horário para terminar. Por R$ 50 leva o livro e vários autógrafos. Todos lá.

Autor
Flávio Dutra, porto-alegrense desde 1950, é formado em Comunicação Social pela Ufrgs, com especialização em Jornalismo Empresarial e em Comunicação Digital. Em mais de 40 anos de carreira, atuou nos principais jornais e veículos eletrônicos do Rio Grande do Sul e em campanhas politicas. Coordenou coberturas jornalísticas nacionais e internacionais, especialmente na área esportiva, da qual participou por mais de 25 anos. Presidiu a Fundação Cultural Piratini (TVE e FM Cultura), foi secretário de Comunicação do Governo do Estado, da Prefeitura de Porto Alegre, superintendente de Comunicação e Cultura da Assembleia Legislativa do RS e assessor no Senado. Autor dos livros 'Crônicas da Mesa ao Lado' e 'A Maldição de Eros e outras histórias', integrou a coletânea 'DezMiolados' e foi coautor com Indaiá Dillenburg de 'Dueto a dois é sempre melhor'.

Comments