Erro de português não dá, vamos combinar

Desculpa a sinceridade, mas eu sou apegada ao bom português. Algumas coisas passam, até porque a minha formação não é Letras e não tenho o total domínio da língua, com todas suas regras e exceções. O meu desespero se dá quando vejo erros (leia-se de português e/ou digitação) em convites para eventos, em matérias, em currículos. Gente, é preciso se ligar nisso. É o cartão de visitas. Se pegar alguém que se apegue nisso, perdeu muita moral na primeira impressão.

Não te garante nisso? No problem. Divide com alguém que saiba, que se atente a esses detalhes, que faça essa revisão. Às vezes, passa, eu sei. Atire a primeira pedra quem nunca se passou. Só que a desculpa que a pressa é inimiga da perfeição, pode ser que não cole. Quem escreve mais seguido, sabe que o olho vicia. Os erros estão, às vezes, gritando na frente e a gente não vê. Ah, mas nessas horas, chama aquele colega amigo e pede ajuda, sem vergonha nenhuma. 

Nas conversas de whats, atéééé passa. A culpa é sempre do corretor, a gente sabe (ou finge que é). Em postagem no face, já não dá. No LinkedIn? Se ratear, melhor até deletar o post ou a conta. Guardado o devido exagero desta que vos escreve, minha dica é um pouco de cuidado mesmo. Perde-se mais cinco minutos, mas não perdemos a oportunidade de exibir as palavras como elas são. É ortografia o papo por aqui. Pego de carona aquela linguagem (insuportável) de internet, que já é coisa do passado, vamos combinar. Este assunto rende até outra coluna para falar só disso.

Dá pra escrever um texto de diferentes formas e falar a mesma coisa. Claro que depende da finalidade que ele tiver, mas ele pode ser criado mais solto, mais informal, até com gírias, se ali encaixar. Quem trabalha por meio das palavras, quem se comunica pela escrita e quem, além de se expor, representa uma outra marca nisso tudo, precisa ter esse filtro. É regra, tipo lei mesmo. Ou deveria ser. Só naum dah p/ ficar uzando coizas erradas, nem que seje apenax de freskura, tendeu?

Autor
Grazielle Corrêa de Araujo é formada em Jornalismo, pela Unisinos, e Pós-graduada em Marketing de Serviços, pela ESPM. Atualmente cursa MBA em Propaganda, Marketing e Comunicação Integrada. É a responsável pela Comunicação Social do IPERGS. Atuou ainda na comunicação da Martins + Andrade, Uffizi, CDL Porto Alegre, Centro, Palácio Piratini e Assembleia Legislativa. É apaixonada por escrever, acredita na comunicação integrada e estuda para se tornar ? também ? profissional em Planejamento. Tem o site www.graziaraujo.com.

Comentários