Pode ir embora, senhor inferno astral

O meu temido inferno astral finalmente se encerra na próxima sexta-feira, 8 de junho. Foi um dos períodos mais tenebrosos, desastrosos, sombrios, horríveis e desprezíveis de coisas ruins que me aconteceram, digamos, com otimismo, nos últimos 12 anos. Para quem não sabe - ninguém tem obrigação de conhecer tudo sobre astrologia - o inferno astral é composto pelos 30 dias anteriores à data do aniversário das pessoas, Nestes dias, um somatório de energias negativas, que parecem surgir do nada, nos torna mais sensíveis, sem força, sem disposição e quando tudo que poderia dar errado, pelos mais diversos e diferentes motivos, realmente termina não dando certo.

Como faço aniversário em 9 de junho, que neste ano cai no sábado, o tal do inferno astral desta geminiana de 2018 tem seu desfecho na sexta-feira. Até lá, não por ser pessimista e sim uma perfeita realista, sei que ainda enfrentarei muitas encrencas, atenderei muitos telefonemas de telemarketing, baterei o pé na quina da cama todos os dias pela manhã, perderei o sono (apesar das doses generosas de remédios para dormir) todas as noites, verei a conta bancária pintar-se de todas as cores e mergulhar no negativo e terei que providenciar, com urgência, todas as obras acumuladas no apartamento em apenas três dias.

Mas, depois, deste inferno astral, a minha vida será totalmente diferente. Nada mais de desagradável, apodrecido e insatisfatório irá me atingir. Não porque andarei vestida e armada com as armas de São Jorge para que meus inimigos, tendo pés não me alcancem, tendo mãos não me peguem, tendo olhos não me vejam e nem em pensamentos possam me fazer mal. Simplesmente porque o tal Jorge entrou de férias no dia 10 de maio e não teve sequer uns minutinhos de lucidez para olhar aqui para esta vivente. Então, meus dias serão felizes, animadores, alegres, positivos, coloridos, poderosos e generosos, porque tudo de ruim que poderia ocorrer já invadiu a minha rotina nos dias anteriores.

E, segundo o astrólogo Dimitri Camiloto, o aniversário de todos é um carregador de energias, como se nós completássemos o combustível para viver mais um novo ano, muito mais do que o ano novo porque este dia é só nosso. Então, recebemos muitos parabéns, abraços, desejos de felicidades, sentimentos cheios de energia positiva que recarregam as nossas pilhas.

Portanto, a partir da próxima semana, a coluna deste portal será escrita por uma pessoa renovada, diferente, mais madura, contemporânea, estimulada e com as suas baterias carregadas para os 12 meses que se seguirão. Queridos leitores, queridas leitoras, peço perdão pela duração desta temporada, mas não digam nada que me viram chorando. Porque eu vou levando. Agora, cada dia melhor. Como dizem por aí: antes de qualquer pessoa tirar meu chão, vou contar um segredo: eu sei voar.

Autor
Márcia Fernanda Peçanha Martins é jornalista, formada pela Famecos/PUCRS, militante de movimentos sociais e feminista. Trabalhou no Jornal do Comércio, onde iniciou sua carreira profissional, e teve passagens por Zero Hora, Correio do Povo, na reportagem das editoriais de economia e geral, e em assessorias de comunicação social empresariais e governamentais. Escritora, com poesias publicadas em antologias, diretora do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do RS (Sindjors), e secretária do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher de Porto Alegre (COMDIM/POA). Tem o blogmarcinhaprodigio.blogspot.com. É mãe da Gabriela e avó dos caninos shih tzu Dalai, agora uma estrelinha, e do vira-lata Quincas Fernando.

Comentários