Notícias de mercado da comunicação do RS.

Home Notícias Emissoras de TV apostam no impacto local dos acontecimentos políticos

Emissoras de TV apostam no impacto local dos acontecimentos políticos

Band RS, RBS TV, SBT e TVE estão acompanhando desdobramentos da gravação do dono do frigorífico JBS e do presidente Michel Temer
Compartilhar
,

Reprodução

As emissoras de TV do Rio Grande do Sul estão apostando no impacto local dos acontecimentos das investigações no cenário político nacional. As equipes da Band RS, da RBS TV, do SBT e da TVE estão acompanhando os desdobramentos na Capital desde a última quarta-feira, 17, quando o dono do frigorífico JBS, Joesley Batista, entregou ao Ministério Público Federal uma gravação na qual o presidente Michel Temer fala que está pagando pelo silêncio do ex-deputado federal Eduardo Cunha, que está preso.

Para representar e alimentar todas as plataformas da Band no Estado, o jornalista André Machado embarcou nesta quinta-feira, 18, para Brasília. Lá, passou a integrar, por tempo indeterminado, a equipe de profissionais da rede Bandeirantes, que é composta por produtores, editores, apresentadores, comentaristas e técnicos. André Machado, desde então, contribui com conteúdos relacionados, essencialmente, ao Estado.

Já a RBS TV, que conta com uma sucursal na capital do País, traz em sua programação local um panorama atualizado do assunto a partir das informações obtidas pelos colegas que estão no Planalto. O diretor de Jornalismo da emissora, Cezar Freitas, explicou ao Coletiva.net que o foco da TV também está na repercussão local, como as manifestações políticas e de políticos na cidade. “O que interessa é conectar os gaúchos e complementar a matriz com as notícias daqui”, sintetizou.

Também nesse sentido, a redação do SBT RS está focada em levar aos telespectadores um olhar mais bairrista das implicações da política no Estado. Para tanto, o editor Regional de Jornalismo da emissora, Danilo Teixeira, disse ao portal que sua equipe está entrevistando representantes partidários e da Assembleia Legislativa, bem como políticos expressivos gaúchos. “Não enviamos nenhum profissional, mas alguns repórteres da rede participam das nossas atrações via Skype ou telefone, passando informações diretamente de Brasília.”

O presidente da Fundação Piratini, que detém a TVE, Orestes de Andrade Jr., contou à equipe de redação que a programação da emissora foi alterada para abordagem do tema, apresentado nas atrações locais ‘Panorama’, ‘Debate TVE’ e ‘Frente a Frente’. “Temos a liberdade de mudar na nossa mão, o que nos permitiu aprofundar as discussões com convidados e especialistas”, explicou. Acrescentou, ainda, que a prioridade da emissora pública é manter a audiência sempre bem informada: “Desde ontem, são três horas dedicadas ao debate do futuro do Brasil”.

Leia mais:

Jornais fazem força-tarefa para cobrir política nacional

Em nota, ARI salienta papel da imprensa na democracia

Repórteres de rádio estão mobilizados na cobertura da política nacional