Jornalistas sofrem violência durante cobertura de protestos sobre exposição

Douglas Freitas foi preso, enquanto Isadora Neumann foi atingida por gás de pimenta no rosto

Os jornalistas Douglas Freitas, da Amigos da Terra, e Isadora Neumann, de Zero Hora, sofreram violência por parte da Brigada Militar durante a cobertura dos protestos favoráveis e contrários ao encerramento da exposição ?Queermuseu?. Freitas, que também é colaborador dos veículos Nonada e revista Bastião, foi preso, enquanto a repórter da RBS foi atingida por gás de pimenta no rosto. Ambos registraram em vídeo o momento da truculência da BM.

Para preservar a imagem de Isadora, o Grupo RBS afirmou que a jornalista não se manifestará. Por outro lado, a empresa manifestou que defende a liberdade de imprensa e repudia toda e qualquer forma de violência contra jornalistas em exercício profissional. Também declarou que demonstrou sua inconformidade com a agressão à Brigada e solicitou "a devida apuração do episódio e que tais fatos relativos à atuação da imprensa em situação do gênero não voltem a ocorrer".

No último domingo, 10, após acusações de apologia à pedofilia e à zoofilia, bem como desrespeito aos símbolos religiosos cristãos, a ?Queermuseu? foi cancelada. Promovida pelo Santander Cultural, a mostra reunia 270 trabalhos de 85 artistas que apresentavam a temática LGBT, questões de gênero e de diversidade sexual. Sob curadoria de Gaudêncio Fidelis, as obras são assinadas por artistas como Adriana Varejão, Cândido Portinari, Fernando Baril, Hudinilson Jr., Lygia Clark, Leonilson e Yuri Firmesa.

Confira os vídeos das agressões de Douglas e Isadora, respectivamente:

Comentários