Neca Hickmann: Dedicação e leveza

Publicitária conta que adora desafios profissionais e vive a melhor fase da carreira

- antaresmartins.com

Neca | Antares Martins
Por Luiza Borges
De alto astral e uma aparência reluzente, Neca Hickmann faz o tempo voar durante pouco mais de uma hora de conversa. Simples, mas elegante, a publicitária revela como conquistou a satisfação pessoal e profissional e diz viver melhor fase da carreira. Sagitariana fortíssima, mostra carregar diversas características do signo astrológico. Ela é sociável, alegre, extrovertida e gosta de ambientes animados. Ama a liberdade e aprecia tudo que é diferente, sempre disposta a conhecer e fazer coisas novas. Estes quesitos são todos encontrados em Maria José Hickmann.
Nascida em Porto Alegre, foi criada no bairro Menino Deus em meio a três irmãos homens: Rui Jr. e os gêmeos Paulo e Pedro. Sempre pela rua, correndo, jogando bolita (ou bola de gude) e até futebol, a filha caçula de Rui e Anita teve uma infância espoleta. Os ensinamentos e as malandragens dos meninos se mesclaram a um sentimento de proteção e afeto incondicionais. Mas ela também tinha seus momentos de menina, realçados pela mãe. "Ela me dava bonecas. Quando encontrava as minhas amigas, meu lado feminino aflorava nas brincadeiras, todavia também adorava brincar com os meus irmãos. Sempre fui camaleoa", recorda.
O carinho dos pais foi lembrado com muito amor: "Eles sempre me apoiaram em tudo. Encorajavam-me para colocar em prática todas as minhas ideias". O pai trabalhava na área de vendas e a mãe exercia o papel materno em tempo integral. Muito paparicada, diz que não deixou que esta proteção atrapalhasse seu crescimento. "Mesmo com este carinho, fui muito independente", garante.
Rui e Anita já são falecidos, mas os ensinamentos ainda são zelados. Deles, Neca herdou a ousadia e a liberdade para arriscar sem ter medo. Características que busca passar também para os filhos Cléo, de 33 anos, e Amanda, de 27. "Digo para acreditarem neles, correrem riscos. Saliento que estou aqui, mas apoio eles para avançarem", conta.
Estudiosa desde sempre
Os irmãos amadureceram e se tornaram profissionais, mas coube a Neca seguir o caminho dos estudos. Quando criança, estudava no colégio Sevigné, onde foi presidente do Grêmio Estudantil. "Não chegava a ser uma "cdf", mas era estudiosa. Fazia parte da turma da bagunça, mas cumpria com as tarefas", detalha. E é tão verdade que ela nunca parou, está sempre fazendo cursos e se aperfeiçoando. Chegou a estudar Ciências Sociais por um breve tempo, pois tem interesse por entender a sociedade e o mundo das transformações. Mas foi na Comunicação que se realizou. "Acredito que a Publicidade sempre esteve forte comigo. Admiro muito o Jornalismo, mas fiz a escolha certa, pois sou realizada e feliz."
A formação acadêmica confirma que Neca é realmente uma amante do conhecimento. Graduada em Publicidade e Propaganda, pela PUC, também possui graduação em Licenciatura em Letras com Ênfase em Inglês, na Uniritter. Ainda, é pós-graduada em Gestão Estratégica em Varejo e Serviços pela USP, e possui MBA na Fundação Dom Cabral - FDC, em Administração em Gestão Empresarial. Não terminou: cursou mestrado em Administração com Ênfase em Gestão e Negócios e, inquieta que só ela, deseja fazer doutorado.
De todas as tribos do bem
Comunicativa e com sede de troca de sabedoria, diz circular muito bem em todos os ambientes. Gosta de estar em locais com pessoas diferentes, que não pensem como ela, pois a encanta conviver com o que é divergente e desperta discussão saudável. Pessoas de alto-astral, ousadas, que buscam o novo e o simples, naturalmente conquistam a companhia de Neca.
Para ela, energia positiva é essencial para se manter uma boa relação. É ligada ao misticismo, gosta de boas energias, e, em casa ou no trabalho, sempre tem incenso. Um sorriso é o bastante para alegrar o dia da publicitária. "Se às vezes fico um pouco triste, basta encontrar uma pessoa com um sorriso ou ouvir alguma história engraçada que já esqueço a tristeza. Dou risada e tudo passa. Adoro uma boa gargalhada. Ah, um bolo de chocolate também ajuda", confessa, comentando ser chocólatra.
O que lhe faz bem? Estar entre amigos. Neca gosta de compartilhar momentos, mesmo vivendo uma fase que prefere estar em casa. Muitas vezes com a presença e boa companhia de amigos, a quem costuma reunir para beber vinho e bater papo. Tem várias tribos e participa de diversas confrarias: a do vinho, a mística, a das amigas.
A Neca
Vaidosa, conta que batom é item indispensável na sua bolsa. Cuida da saúde e tem como disciplina praticar musculação com personal trainer. "Faço esporte não só pela questão estética do corpo, mas para me sentir melhor. Quando não pratico as aulas, faço uma caminhada, ando de bicicleta, faço qualquer coisa, mas não fico parada", salienta. Na infância, praticou ballet durante muito tempo e, na adolescência, se aventurou no vôlei, passando por clubes da Capital e chegando a jogar pela seleção gaúcha da modalidade.
Gosta muito de animais. Em casa, tem dois cachorros da raça Poodle, o Nick e o Alemão, que recentemente ganharam uma nova integrante: a gatinha Cristal. "Estava saindo do trabalho quando ouvi uns miados perto do carro. Ela estava dentro do motor! Por sorte, percebi e consegui pegar. Uma linda siamesa que acabou me conquistando e hoje faz parte da família." Colorada, acompanha o time e já foi bem fanática. Mora em frente ao estádio, então, se contenta ao sentir a energia dos torcedores a cada partida. Acabou deixando de lado o fanatismo por ter clientes gremistas e prezar pela boa relação.  Apesar de colorada, adora as cores azul, cinza e o preto. "Quase Grêmio, né?", brinca. E, ao comentar sobre roupas, recorda que já foi empresária no ramo de moda.
Comida japonesa é a sua predileta. Se puder escolher, opta sempre por sushi. Também gosta de massas, acompanhadas de um bom vinho. Adora ir para a Serra e desfrutar da parte gastronômica. Ah, e a sopa de capeletti no inverno, não pode faltar! Gosta tanto que um dos programas preferidos é Máster Chef, atração que lhe desperta vontade de comprar os acessórios e panelas para montar uma cozinha maravilhosa. Na prática, porém, não é bem assim: "Cozinho de vez em quando. Não é muito a minha praia, mas adoro quem faça", ri.
Apreciadora de vinho, sempre seco e brut, também se aventura ao estudo da bebida. Conhece o Vale dos Vinhedos, mas deseja mesmo é viajar para a Itália e lá fazer um curso sobre vinhos italianos. A música que faz o corpo balançar e o coração bater mais forte é composta pela banda britânica de rock alternativo Coldplay. "Este show eu não perco por nada", assegura. Quando o assunto é fé, Neca se considera espiritualizada e, apesar de ter sido batizada na igreja católica, foi no espiritismo que encontrou afago. "Respeito a fé católica, mas em função de alguns fatos marcantes da minha vida, me senti mais acolhida no espiritismo".
Livre por natureza
Com tempo livre, opta por imergir no mundo da leitura. Adora livros e já teve diversas fases de obras, quando gostava de ficção, depois romances, mas de alguns anos para cá, em função da vida acadêmica, prefere os livros de negócios, administração, gestão de pessoas, etc. A paixão é tanta que acaba lendo até duas obras ao mesmo tempo e já teve uma biblioteca dentro de casa. "Tinha muitas obras. Aí, chegou um dia que decidi compartilhar parte daquilo", conta. Listou em torno de cem obras e distribuiu entre colegas de trabalho e entendeu o gesto como um momento de limpeza geral na vida. Dividir o que se tem, é isso que as pessoas deveriam fazer mais em sua visão. "Para que tantos? Eu li, absorvi e agora outras pessoas merecem receber este entendimento", simplifica. Também aprecia assistir um pouco de televisão. E quando o assunto é Netflix, ela indica a série de ficção científica que examina a sociedade moderna e fala a respeito das consequências imprevistas das novas tecnologias, a BlackMirror.
Com o pé que é um leque, Neca percorreu diversas partes do mundo, conhece alguns estados do Brasil e um pouco da América do Sul, tendo passagens pelo Uruguai e Argentina. Na Europa, conheceu a França em uma oportunidade de estudo. Mas foi nos Estados Unidos que teve uma das melhores experiências da vida. Quando era adolescente, foi estudar inglês na Universidade da Califórnia, em São Francisco, pelo período de três meses. Após encerrar o curso, decidiu permanecer por mais tempo e explorar. "Eu e mais três colegas fomos para Berkeley, uma cidade universitária. Alugamos um apartamento e nos inscrevemos em um curso para estrangeiros, de língua inglesa", conta. Após nove meses morando fora, retornou ao Brasil com saudades de casa. "Foi uma experiência muito bacana porque tinha 19 anos. Viu, sempre fui ousada! ", se diverte.
E ela é mesmo. Já adulta, em Chicago, após encerrar um compromisso de negócios, decidiu seguir viagem e foi sozinha para Nova Iorque. Foi quando se apaixonou pelo lugar e pela liberdade que sentia. Curiosa, fez questão de explorar lugares fora da rota turística. Outra lembrança carinhosa de suas viagens foi vivida na Costa Leste, em São Francisco, onde conheceu a Golden Gate de moto. Pilotando? Não, na garupa. Assumir a direção já fez parte da sua vida, mas resultou em queda e, com isso, o receio. "Agora, no máximo, uso as bicicletas do Itaú para dar uma volta", conta, brincando.
Colhendo os frutos
"Tudo tem seu tempo na vida", diz a publicitária que atuou durante 22 anos dentro da RBS. "Trabalhei muito tempo na mesma empresa, mas nunca em zona de conforto. Todos os dias buscava algo novo", garante. E, hoje, continua com sede de novos desafios. Batalhadora, recentemente imergiu em uma proposta que a seduziu pela empatia com o projeto: elevar o patamar de uma emissora. Alguma dúvida de que Neca iria abraçar esta oportunidade?
Atualmente, é diretora comercial de rádios e TV da Band e diz que nunca se sentiu tão bem e realizada profissionalmente como agora. "Estar no lugar certo na hora certa. Trabalhar em uma empresa que te dê total liberdade para também ajudar neste sentido, de colocar a pessoa certa nos lugares certos. Estou mexendo muito com isto. Ativo o meu lado gestora e ao mesmo tempo foco em negócios". Para trabalhar ao lado de Neca, é preciso estar bem informado e atualizado.
O caminho percorrido na carreira da publicitária foi um pouco diferente dos demais colegas: ela nunca trabalhou em agência de publicidade. "Gosto dos veículos de comunicação. Talvez pelo fato de me identificar também com o Jornalismo". Começou em um projeto que era de cadernos de bairros, como contato comercial, e, quando a editoria encerrou, foi realocada e promovida a executiva de contas do jornal . Foram quatro anos até surgir um headhunter que a fez uma proposta para atuar com revista e, inspirada pelo gestor da época, Ricardo Gentilini, da RBS, foi trabalhar no Jornal Comunicações, atuando desta vez com revistas. Foi a oportunidade de montar uma equipe do zero.
O reconhecimento veio após um ano, com o prêmio Veículo do Ano, no Salão da Propaganda. Após três anos, sentiu que o trabalho havia sido feito e partiu para um novo caminho: a produção executiva da RBS TV, emissora onde atuou por quase duas décadas. Em 2016, percebeu que havia chegado seu prazo de validade. Outra vez, com sentimento de missão cumprida,  estava na hora de partir. "Tomei esta decisão supermadura. A melhor coisa que aconteceu foi a forma como o mercado acolheu a minha saída. Fiquei três meses sem trabalhar, ouvi diversas propostas interessantes neste período e foi difícil tomar uma decisão", detalha.
Quando a Band chamou, Neca não pensava em voltar a atuar em veículo , muito menos em TV. Só que a empresa apareceu com uma oferta tentadora e ela foi seduzida. "Sou movida a desafios! E tudo aquilo que me foi apresentado, estou vivendo na prática agora", comemora. A diretora tem liberdade de fazer as mudanças que acredita, de formar times e de promover talentos. "Nunca estive tão feliz profissionalmente. O melhor de tudo é sentir esta troca com o mercado. Quero transformar a Band na melhor empresa para se trabalhar e vamos fazer isto", almeja.
Um dos ápices da carreira foi a conquista do Prêmio ?Valeu, Líder?, do Grupo RBS, quando completou 15 anos de empresa, em 2014. "Foi um momento ímpar. Não pelo fato de receber a homenagem, mas por minha equipe ter feito campanha para que eu fosse uma das candidatas mais votadas. Isto não tem preço", celebra, completando que acredita nas pessoas. Mais do que isto, gosta de trabalhar e oferecer o que as pessoas precisam. Com olhar sereno e um sorriso de satisfação de quem sabe o que está fazendo e tem sede por conquistas, Neca encerra: "Não estou onde estou por acaso. Eu construí isto. E ninguém está comigo por acaso. Tudo tem seu tempo, mas nada é por acaso. Acredito em uma construção".

Comentários