Moove: No caminho da mudança

Agência é bicampeã do Salão ARP Night

 

Um dos momentos mais gratificantes da Comunicação é subir no palco do Salão da Propaganda. E quando o nome é chamado por dois anos consecutivos? É com duas estrelas em mãos que a Moove, eleita Agência do Ano em 2017 e 2018, recebeu a equipe de Coletiva.net. A então Pública, fundada há 15 anos por José Luiz Monteiro Fuscaldo, ao lado de José Antonio Vieira da Cunha e Luiz Fernando Moraes, que deixaram a sociedade, preserva até hoje a gentileza de uma empresa pequena, sem arrogância e superioridade, mas que cresceu com foco e determinação. Para muitos da equipe, a conquista dos prêmios é fruto da história de respeito e parceria que possuem tanto com os clientes quanto com o meio.

Assim como o nome sugere, a agência está sempre em movimento, inquieta com o presente e atenta ao futuro. Com uma gestão preocupada com o bem-estar dos colaboradores e clientes, a mudança está por todas as áreas: desde a troca de sede, até contratar uma consultoria para guiar uma mentalidade capaz de atender às demandas atuais.

Hoje, os cerca de 50 colaboradores, divididos entre os núcleos de Atendimento, Criação, Produção, Planejamento, Mídia e Administrativo/Financeiro, ao lado do de Inteligência Digital- cujo propósito é permear por todos os departamentos -, encontram-se na avenida Carlos Gomes, 141. Há dois anos como lar, a sede com cores cinzas reflete o DNA da empresa: algo acolhedor, ágil e simples. Há paredes apenas nas salas de reuniões, além do financeiro e dos sócio-diretores - Fuscaldo e Alberto Meneghetti - que precisam de privacidade e silêncio. No local, a equipe imprimiu um local funcional e, ao mesmo tempo, de descanso - como é o caso do lounge, que recebe refeições, sonecas após o almoço e olhadelas na televisão. Também há opção de preencher com algum recado ou desenho a parede, que era para ser preta, porém foi tomada por criatividade à base de giz, tornando-se uma espécie de quadro-negro.

Sociabilidade
Local de maior convívio, o lounge ainda é abrigo de diversas confraternizações, como os aniversários que são comemorados uma vez por mês, a conquista de uma conta ou licitação e, até mesmo, chás de fralda. Nestes momentos, a equipe é recebida com docinhos e salgadinhos, além da cerveja ser liberada. Devido ao privilégio que dizem ter em relação à vista do pôr do sol, brincam e fazem um concurso para quem está postando a foto mais bonita no Instagram.

Para comemorar a Páscoa, por exemplo, realizaram uma caça ao ninho em dupla, nas quais as pistas estavam divididas. As festas de final de ano, primordialmente temáticas, também integram o calendário oficial da Moove. Contudo, é no Dia dos Pais e das Mães que a equipe se supera. A diretora de Planejamento, Marlene Martinez, conta que os trata como clientes e criam uma campanha especial em segredo para os colaboradores com filhos. "Neste ano, os pais ganharam uma caneca personalizada com a foto deles e dos filhos. Para as mães, criaram almofadas com caras de leoas, para representar os leões de Cannes (em referência à premiação que acontece em solo francês)", detalhou. 

Meneghetti, que tem como parceiros de sociedade, além de Fuscaldo, Aira Franciosi, Denise Milão e Luana Rodriguessalientou o lado amparador da agência: "Contribuímos muito com projetos sociais e isso não é só para aparecer. Até porque, nem divulgamos", afirmou ele, que está à frente da área de Novos Negócios. As campanhas para doações se tornaram parte da rotina da empresa, expandindo-se para todo o prédio. O envolvimento, por meio de cartazes de divulgação e caixas para recolher os donativos, é tamanho que os vizinhos da antiga sede lamentaram a saída da agência, pois perderam as iniciativas. Dentre as arrecadações, estavam auxílios para asilos, campanhas do agasalho e pessoas afetadas por enchentes.

Há três anos, adotaram nos finais de ano a Aldeia da Fraternidade, da qual recebem os pedidos de Natal das crianças que precisam de ajuda. Em 2018, por exemplo, montaram uma árvore que possui, ao invés de somente bolinhas, sabonetes pendurados, que foram feitos pelos jovens que fazem parte do programa. Cada colaborador escolheu um decorativo que fazia referência a uma determinada pessoa.

Além destes eventos, há também os que projetam atualização, conhecimento e produção. Esse é o caso do 'Café 4.0', no qual uma vez por semana um colega escolhe um tema e compartilha com a equipe. Como, por exemplo, contar o que viu em um evento ou o que leu em determinado livro. Em virtude de acreditarem na necessidade de aperfeiçoamento constante, algumas vezes, ainda recebem um profissional, que não seja da equipe, com expertise para informar sobre um produto, serviço e novidades do mercado.

Moovers

O que não faltam são elogios aos colegas, e Fuscaldo é o primeiro a falar bem  da equipe. "As únicas estrelas que a Moove tem são as da ARP. Aqui todos têm a mesma importância nas soluções", disse, ao afirmar que tem muito respeito pela qualificação e competência dos "moovers" (como são chamados carinhosamente os colaboradores). Para ele, o comprometimento e a dedicação dos profissionais são diferenciais da agência. Outro ponto destacado é o turnover: extremamente baixo e, quando acontece, alguns ainda regressam como freelas.

Em um clima bom, apenas agitado em alguns momentos - o que torna necessários concentração e fones de ouvidos (sinal para os outros de que a pessoa está ocupada) -, divergências acontecem eventualmente. Porém, Marlene comenta: "O pessoal aqui não é rancoroso, isso é bom. No outro dia, está tudo normal". Não existem feudos, apesar de ter algumas áreas que sentam mais próximas umas das outras, acabam circulando por tudo. Luana, que deixou a agência e retornou mais tarde, revelou que o que a fez voltar foi a conexão. "Sinto-me muito vinculada ao propósito e ao projeto, além dos valores em comum", falou. De acordo com a equipe, o acesso aos sócio-diretores é muito tranquilo, pois batem na porta e entram na sala que Fuscaldo e Meneghetti dividem, e entram sem problemas. 

O que para as mulheres da casa é algo comum, o mesmo não acontece no mercado. Em 2018, a Moove possui a presença feminina em 70% do quadro, enquanto prevalecem com 60% dos cargos de diretoria e, inclusive, são a maioria dos sócios. Laura de Azevedo, diretora de Criação, por exemplo, é uma raridade do meio. Ela, que começou como redatora para cobrir uma licença-maternidade, em maio de 2017, acabou sendo convidada a ficar e, mais tarde, tornou-se a líder do setor. "Quando entrei aqui, havia uma campanha cujo mote dizia que 20% dos profissionais de Criação eram mulheres. Hoje, 55% da minha equipe é feminina", conta ela, que é quase uma exceção em Porto Alegre. "Isso influencia na amabilidade e imprime outro clima na agência", opina.

Foi neste meio que tiveram a oportunidade de estarem à frente de uma campanha que as representava. Precisaram produzir ações para a Assembleia Legislativa, para o comitê regional que estava sendo criado denominado 'He for She' (em tradução livre, "Eles por Elas"). Após, foram convidados a integrá-lo. "Hoje, somos a única agência no Estado que é 'He for She' na prática, porque a participação feminina sempre foi muito grande", falou o diretor de Inteligência, Eugênio Lumertz.

Marlene, há nove anos na empresa, disse que usam o título com muita honra, pois não é o que acontece no mercado. "Em outra agência, poderia ter algum ruído com uma diretora de Criação, aqui não, pois é muito natural", entende ela, ao falar que desde o início a Moove foi acolhedora em dois sentidos: ter muitas mulheres e sêniors. Segundo Eugênio, eles conseguem mesclar a experiência com a juventude de uma maneira muito equilibrada. "Todo mundo aqui é experiente, mas também é curioso. Estamos sempre nos atualizando, fazendo curso. Os jovens também trazem novidades, e essas trocas e combinações formam um time muito forte", declarou.

A estudante de Publicidade do quinto semestre da ESPM-Sul Júlia Rebelo concorda. Integrante do 'Super Estágio', programa cujos estudantes têm a possibilidade de conhecer e escolher agências para trabalhar, e vice-versa, é dupla de Criação de outra universitária. As meninas, que possuem pauta própria, atuam da mesma forma que as colaboradoras masters. Conforme a futura publicitária, a agência brilhou seus olhos devido aos clientes, nos quais eram ao ver dela, mais sociais, além de ter sido a Agência do Ano em 2017, fato que chamou sua atenção na época.

Resolvedores de problemas

Meneghetti resume a agência em uma palavra: envolvimento. "Acabamos nos comprometendo com os clientes e aprofundando os seus problemas e desafios", opina ele. Eugênio concorda, ao afirmar que o DNA da Moove é esta parceria com as contas. Por isso, não possuem rotina. Para tal, articulam-se rapidamente em função das demandas.

Após perceberem mudanças no mercado, em 2016, chamaram uma consultoria, com o intuito de repensar o negócio e redefinir o caminho estratégico. Com isso, houve uma reprogramação do mapa mental da agência e dos funcionários. De acordo com Fuscaldo, atualmente, tentam encurtar distâncias, por meio de reuniões mais rápidas, conversas e processos mais ágeis. Cada pessoa, por exemplo, tem uma meta a entregar e precisa cumprir.

Além dos colaboradores que ficam na agência, há uma rede de especialistas em determinados assuntos que executam alguns trabalhos direcionados. Este é o caso da Zoom, um núcleo especializado na cobertura de feiras e eventos de Comunicação, que gera conteúdo para as redes sociais. Atento aos novos modelos de trabalho, o editor gráfico Tiba Tiburski, muitas vezes, trabalha em casa. Outro diferencial são os núcleos por negócio, a exemplo do Agro e Institucional/Político e, até mesmo, a criação de uma equipe especialmente para determinado projeto.

Outra mudança está na questão digital, com um núcleo que atua com a programação até geração de conteúdo. Fuscaldo revelou que o responsável pela área, o herdeiro Gabriel Fuscaldo, o orgulha muito. "Não porque é meu filho, mas devido à responsabilidade que tem de puxar a empresa para este novo mundo. O mapa mental da agência muda a partir da Inteligência Digital, e ele é o responsável por proporcionar esta nova visão", apontou.

Para Eugênio, a reinvenção permanente da Moove é o que a torna reconhecida pelo mercado. Fuscaldo consente, ao acreditar que os prêmios expressam que estão no caminho da mudança. "Temos um modelo de trabalho adaptado aos novos tempos. Porém, não temos a pretensão de dizer que é algo que chegou ao fim. Nos preparamos, sim, para entender o mercado", salientou Fuscaldo.

Com a glória, porém, chegam as responsabilidades: o desafio aumentou, na opinião dos colaboradores. Definida como um desafio permanente pelo sócio-fundador, a equipe concorda: "É uma grande oportunidade fazer parte do time Moove, pois a agência cresceu muito nos últimos anos e nos sentimos muito parte disso", apontou Laura. E, como diz Fuscaldo, "ser bi é tri".

 

Comentários