Sistema Dez: DNA Criativo

Com 25 anos, agência se renova a cada transformação do mercado

 

Momentos constrangedores e complicados de serem resolvidos na vida dos adolescentes, enquanto diversas opções passavam por suas cabeças: assim o bordão 'Difícil mesmo é a vida, vestibular a gente dá um jeito' deixou sua marca na memória dos gaúchos. Afinal, quem não lembra do menino que matou o gato da namorada? A campanha, desenvolvida para o curso pré-vestibular Universitário, em 1997, é um dentre tantos exemplos de propagandas criadas pelo Sistema Dez que conquistaram o público.

Ao longo dos 25 anos de trajetória, a agência já foi nomeada como Dez Propaganda e Dez Comunicação antes da atual nomenclatura. Sempre acompanhando as mudanças no mercado, passou a trabalhar em segmentos que o fundador, Mauro Dorfman, jamais imaginou. Porém, a equipe é unânime quando fala sobre o que foi pensado quando os jovens publicitários Mauro, Paulo Guerchfeld e Vitor Knijnik abriram o negócio: o DNA criativo.

Para frente

Além de criativa, a equipe é viciada em desafios e mantém a vontade de fazer mais e melhor. Os mais jovens, por exemplo, já não esperam pelo briefing do cliente, eles o propõem. Aliado a esta medida, há o 'momento planejador', quando um novo trabalho atrai a atenção de diversos colaboradores que param, por alguns instantes, para pensarem e contribuírem com o início do projeto. "Gosto muito deste espírito de ateliê. Para mim, isso que é a Dez", conta Mauro.

A integração e a afinidade entre a equipe, aliás, fazem parte do cotidiano da agência. Dependendo do projeto, os mais de 50 colaboradores, divididos entre administrativo-financeiro, atendimento, conteúdo, criadores, digital, execução, finalização, mídia, planejamento e produção, são realocados de lugar constantemente.

O espaço, que ocupa o 10° andar de um prédio na Rua Mostardeiro, no bairro Moinhos de Vento, permite a dinâmica. Com divisórias em poucos ambientes, como as salas de reuniões, a maioria se concentra em dois grandes locais de trabalho - o que deveria gerar muito barulho, mas que, de acordo com Mauro, acabou deixando o pessoal mais quieto do que de costume, o que não os faz deixar, porém, a decoração de lado nas suas estações de trabalho. Junto a copos térmicos de café, refrigerante e chimarrão, pode-se encontrar porta-retratos com fotos dos familiares, calendários, bonecos - como do desenho animado 'Minions' -, e muitas canetas das mais variadas cores.

As salas repletas de estantes com livros, prêmios e lembranças de campanhas passadas fazem companhia ao grande lounge decorado com a mistura de cores sóbrias e do amarelo presente no logo da Dez. No local, adesivos na parede compõem o cenário de descontração e bate-papo, além de possuir sofás e televisor - palco da equipe na torcida pela Seleção Brasileira durante a Copa do Mundo deste ano.

O ambiente, que ainda abriga os happy-hours das sextas-feiras, regados a cerveja e lanches rachados pela equipe no final do expediente, conta com geladeira e balcão que, além de apoiar as refeições, recebe em seu entorno reuniões mais leves e práticas. Porém, quando não estão confraternizando lá, podem ser facilmente encontrados em festas na cobertura ou no auditório do prédio - as quais Mauro se refere como extensões da agência.

Transparência

O conceito aberto não está presente somente na arquitetura. Além das salas da diretoria serem envidraçadas, Mauro comenta que "não precisa bater, é só entrar", pois eles sempre estão disponíveis para conversas, ideias e críticas. Roberto Schimidt, diretor de Criação, gostou tanto da primeira experiência, em 2009, que acabou retornando no início deste ano. De acordo com ele, de lá para cá as pessoas mudaram, mas a essência criativa continua a mesma. Outro motivo que o fez retornar foi a convivência com a diretoria "É uma agência transparente, pois os sócios são muito claros", opina.

Rita Schiavon, assistente administrativa, concorda ao falar que é o melhor lugar onde já trabalhou, pois as pessoas são excelentes, têm apoio profissional e grande contato e abertura com os chefes. Para ela, que está há 19 anos na empresa e carrega o título de funcionária mais antiga da casa, a Dez é a sua segunda família.

Além de Mauro, que realiza, hoje, um trabalho mais estratégico de gestão e planejamento, há também na liderança Carlos Saul Duque, vice-presidente de Criação, há 24 anos na empresa. Completam o time Cláudia Gonçalves, vice-presidente de Relacionamento, e Delmar Gentil, vice-presidente Financeiro e de Operações.

"Trabalhar aqui é como estar em casa. Não só pelo tempo e por ter parceiros de décadas, mas pelo clima que a gente cria aqui dentro", comenta Saul, que considera fundamental interferir positivamente no ambiente e no relacionamento da equipe. Desde a sua chegada, em 1996, Cláudia reflete que a mudança sempre fez parte da narrativa da Dez, como quando trouxeram ao Estado uma unidade especializada em trade ou quando transformaram a área digital em especialidade. "Aqui, tem muito do que eu acredito, do meu DNA, da minha história e da minha vida", conta ela, ao afirmar que fazer parte deste time é ser sempre propositivo e estar disposto a fazer mais e melhor por meio de uma construção colaborativa e conjunta. 

Felicidade é prioridade

Trabalhar em um local no qual a alta demanda exige seriedade para vencer os desafios, bem como entregar o produto final com qualidade pode ser muitas vezes exaustivo. Por isso, a equipe de liderança não mede esforços para trazer leveza e diversão aos colaboradores que constroem a história de sucesso da Dez.

Um dos responsáveis para tais momentos de descontração é Delmar, que comenta a importância de proporcionar felicidade por meio do contato com coisas diferentes. É o caso da vez que andaram em um avião anfíbio - modelo que pousa na água -, ou visitaram Três Coroas. Os funcionários, porém, não tinham ideia do que estava prestes a acontecer: eram levados anteriormente para locais inusitados sem saber o destino.

Levar um salão de beleza para dentro da agência, com direito a corte de cabelos e unhas feitas, foi outro presente para a equipe, e eles são muito pensados, frequentemente, por meses pela diretoria. "Não nos importamos com o custo para realizar essas surpresas, pois fazemos isso para retornar o carinho e a dedicação que eles têm com a Dez", explica Delmar ao relatar que há sempre uma comemoração para as datas especiais, como Dia das Mães e festas juninas.

Resultado nota 10

Quando o jovem Mauro abriu seu primeiro negócio com colegas, não imaginava que, da sua casa na Avenida 24 de Outubro, a Dez conquistaria contas importantes, além de desbravar terras paulistas e catarinenses. Há quase 25 anos da empresa, os supermercados Angeloni são o grande motivo pelo qual a agência possui um escritório em Florianópolis - que recebe quase toda a semana a equipe destinada exclusivamente à empresa. Em São Paulo, deixou sua marca ao abrir escritório na cidade pelo tempo em que foi aliado do grupo Fischer América.

Com passagens ainda pelas ruas Dona Laura e Ceará, o que não muda na empresa é a vontade de proporcionar um ambiente acolhedor e saudável. Por isso, para Mauro, a Dez é uma casa amiga - onde não tem ninguém representando esse papel, visto que é de todos. Sendo assim, muitos que chegam ficam por bastante tempo, enquanto outros retornam, como é o caso do diretor de Criação, Beto. Em virtude de uma das características atuais do mercado publicitário ser a inquietude e o desejo de trabalhar em diversos locais, com oportunidades diferentes, ainda há quem contribua para a rotatividade da agência. Algo que Mauro entende perfeitamente.

Hoje, a Dez é resultado do amadurecimento dos sócios, que cresceram junto à empresa e a tornaram um nome reconhecido no mercado. A ideia inicial de criar uma empresa que conseguisse proporcionar para os seus clientes uma Comunicação que se destacasse no mercado foi alcançada. E, após mais de duas décadas, o maior objetivo, a criatividade, continua imperando em uma agência que é 10.

 

Comentários