Estudo aponta que jovens estão mais interessados em política

Pesquisa "O Jovem Brasileiro e o Futuro do País" foi realizada pelo Núcleo de Tendências e Pesquisa da Famecos, da PUC

O interesse do jovem na política foi um dos temas levantados na pesquisa "O Jovem Brasileiro e o Futuro do País", realizada pelo Núcleo de Tendências e Pesquisa da Famecos, da PUC. Entre os entrevistados de 18 a 34 anos, 47,4% têm política como interesse na hora da busca de informação e 70,24% procuram se informar diariamente. A faixa de 25 a 34 anos está mais interessada em conteúdos voltados ao assunto. O material integra o Projeto 18/34, conduzido por alunos atuantes no núcleo do Espaço Experiência.
O coordenador do projeto, professor Ilton Teitelbaum, acredita que esse interesse pelo setor pode ser justificado tanto pela crise política quanto pela econômica, que afeta 73,77% dos respondentes. "O ano de 2013 foi muito importante nesse sentido, que acabou desencadeando, junto com todo o contexto de crise e de uma sociedade muito digitalizada, quase que uma necessidade de se manter por dentro do assunto", explica.
O estudo também aponta que mais de 60% dos entrevistados disse estar envolvido ou já ter se engajado em causas sociais, entretanto 85,82% acreditam que os outros falam mais do que fazem ao usar o engajamento como forma de autopromoção. Para construir sua posição política, os jovens se baseiam através de meios digitais, como redes sociais (84,5%) e sites e blogs Informativos (82,8%), mas levam em conta, principalmente, sua experiência de vida (70,22%) na hora da decisão. A tendência à esquerda política soma 46,59% da amostra, enquanto a preferência pela direita chega a 15,76%. Teitelbaum identificou, ainda, maior envolvimento virtual com as causas, do que nas ruas.
Sobre a solução dos problemas do Brasil, 52,71% acreditam que a responsabilidade é da população. Por outro lado, o jovem demonstra confiar apenas em si. O estudo revelou que há pouco orgulho desse grupo pelo País, e 36,55% dos participantes disseram que não se veem no Brasil daqui a 10 anos.
Dos entrevistados, 79,41% dos jovens consideram o atual momento do País razoavelmente ou totalmente negativo. No entanto, fatores básicos como sistema de educação (61,12%), segurança (48,18%) e sistema de saúde (36,06%) foram considerados deficientes. Para os próximos 10 anos, segundo os resultados, o jovem busca estabilidade (83,53%), espera estar empregado (63,18%) e em um compromisso/relacionamento (85,35%).
O empreendedorismo está presente. Pouco mais de 48% se veem empreendendo e 88% poupando. Também foi constatado que 49,76% dos entrevistados não desejam ter filhos.

Comments