Era só uma ideia

Por Luís Augusto Junges Lopes, para Coletiva.net

Na praia onde veraneamos há décadas, Magistério, coladinha ao Balneário Pinhal, reside um senhor conhecido por Seu Nelinho. Ele é um faz-tudo: encanador, eletricista, hidráulico, bota piso, azulejo, troca telhado, enfim, o homem ganha uma boa grana com os veranistas que chegam na praia. Muitos mal têm tempo de desfazer as malas e vão logo agendando o Seu Nelinho pra todo tipo de conserto.

Daí fiquei pensando como também poderia ganhar uns troquinhos dando uma espécie de consultoria, logicamente que na minha 'praia', revisão de Português. Seria algo bem simples, ajudar a esclarecer algum ponto em dúvida, como crase, acentuação, hífen, nova ortografia... Coisa literalmente pra se fazer entre um banho de mar e outro. Definiria uma tabela de preços e faria uma propaganda boca a boca (sem hífens), sem alarde, pra não parecer presunçoso.

- Bom dia! Tudo bem?

- Bom dia! O senhor que é professor de Português?

- Não, exatamente. Mas o que posso ajudá-la?

- É que meu marido e eu estamos discutindo se "de a pé" tem crase...

- Bom, em primeiro lugar, está errado dizer "de a pé". O certo é "ir a pé", ok? Em segundo lugar, a expressão "a pé" não tem crase porque só se usa crase em palavras femininas, em casos específicos. Assim como 'ir a cavalo' também não tem crase. A senhora entendeu?

- Ah agora entendi! Muito obrigada! Quanto lhe devo?

****

- Boa tarde! Tudo bem?

- Boa tarde! O senhor poderia ajudar numa situação que está acontecendo lá em casa?

- Sim, claro! O que seria?

- Tá lá em casa uma sobrinha metida a besta, que só porque tá fazendo faculdade, acha que sabe mais que a gente... Ela tá dizendo que 'dia a dia' não tem mais hífen... Eu sempre aprendi que 'dia a dia' tem hífen.

- Bem, vou lhe explicar de uma maneira simples. Antes da nova ortografia, havia duas formas de dizer isso: 'dia-a-dia' com hífen quando significava 'cotidiano', 'rotina diária'... E usava-se 'dia a dia' sem hífen quando significava 'dia após dia'. Por exemplo: "A paciente está melhorando dia a dia", ou seja, ela está melhorando 'dia após dia'. Só que agora, com as novas regras ortográficas, não existe mais o hífen. Nas duas situações, usa-se 'dia a dia' sem hífen. O senhor entendeu?

- Ah agora entendi! Muito obrigado! Quanto lhe devo?

*****

- Boa noite! Posso falar com o senhor urgente?

- Boa noite! Sim, claro!

- Me disseram que o senhor entende de português...

- O que seria?

- Estamos fazendo um churrasco lá em casa, e aí começaram a discutir sobre o uso correto do porquê. Daí foi uma confusão porque uns sabiam algumas regras, outros não sabiam nada, e o clima esquentou com bate-boca entre meus filhos e nossos amigos! A coisa tá tão feia que os vizinhos já chamaram a Brigada Militar!! O senhor pode nos ajudar, por favor!!? É caso de vida ou morte!

- Olha, eu ia jantar agora.. Mas nesse caso, eu janto depois. Quantas pessoas têm na casa?

- Umas 20! É festa de aniversário do meu filho mais velho. Na verdade, nem tem mais clima de festa.

- Ok! Umas 20 pessoas... Então vai demorar um pouco pra explicar pra todo mundo entender... Nem me atreveria a esclarecer agora só pra senhora pra explicar pra eles depois. É que esse caso é muito complexo. A língua portuguesa é cheia de nuances, sabe?

- Nu.. o quê??

- Regrinhas, sabe? Na verdade, existem quatro formas do uso do 'porquê'. Quatro não, são cinco! Viu só? Até eu me confundi... Mas vamos lá! Não pode acontecer uma tragédia só por causa disso, né?!

- Nossa!! O senhor não tem noção!! Eles estão brigando muito mais do que se fosse um GreNal!!

- Tá ok! Acalme-se, senhora! Vou ajudar sim. Vamos lá! Ah só uma dúvida: a senhora vai pagar em dinheiro, cheque ou cartão?

Luís Augusto Junges Lopes é sócio-proprietário da Press Revisão Assessoria em Comunicação Ltda.

Comments