Eu ouvi: não tem mistério

Por Mauro Mabilde, para Coletiva.net

Quando ouvi uma palestrante afirmar "não tem mistério", com convicção, concluí: matou a charada. E assim foi o FT18 - Festival da Transformação, realizado pela ADVB.

"O conteúdo desejava ser compartilhado, os palestrantes e mentores queriam trocar, os participantes estavam com sede. Esse pensamento colaborativo era o suficiente para acabar com o mistério." A citação foi da palestrante Juliana Medaglia, da Triider, e traduziu a essência do FT. Por sinal, a especialista em design e UX deu um baita exemplo de compartilhamento, abriu dificuldades da startup gaúcha, suas superações e ambições de crescimento e profissionalismo. Também teorizou, mostrou como se tira proveito da teoria acadêmica para a prática na gestão.

Esse foi um exemplo entre os 450 conteúdos.

Enquanto o Triider compartilhava sua trilha de aprendizado e sucesso, na sala ao lado, a PrimeSail contava como executivos empreendedores podem mudar o vento. Roberto Machado, sócio, mostrou que mais de 5.000 executivos de grandes companhias no Brasil já exercitaram liderança se valendo do mindset dos navegadores, velejando! E isso num país que tem velejadores como Amyr Klink e Robert Scheidt, o que não é pouco. A PrimeSail, como algumas das empresas presentes no FT, surgiu no Rio Grande do Sul, já está no Rio de Janeiro e em São Paulo, e vai se expandir rapidamente para várias cidades brasileiras e, aposto, para águas internacionais.

O evento foi uma construção coletiva capitaneada por 23 curadores. Cada um trouxe um pouco da sua vivência profissional e o resultado dessa cocriação foi um conteúdo 100% plural. Foram mais de 300 horas de troca de experiências simultâneas, ocupando oito locais diferentes para poder dar vasão à amplitude de assuntos da programação.

Como diz Fabio Bernardi no seu excelente artigo 'Falta senso de urgência para inovação e pesquisa no Brasil' (dá um google: "falta senso de urgência"), temos que aplaudir iniciativas como o Pacto Alegre, que vai acelerar inovações na velocidade que precisamos. O Festival da Transformação existe para isso, é a contribuição da ADVB para uma visão de urgência, que pode acontecer em apenas dois dias.

Manter aceso esse senso é papel de toda sociedade.

Não tem mistério.

Mauro Mabilde é publicitário e vice-presidente de Eventos da ADVB/RS.

Comments