O CEO militante: crise à vista

Por Marcelo Nepomuceno, para Coletiva.net

A adequação ao ambiente das redes sociais exige constantes esforços por parte das empresas. Afinal, todos já perceberam, por experiência própria ou pela concorrência, o potencial de estrago que uma crise nas redes sociais pode causar à reputação das empresas.

É essencial o acompanhamento da comunicação dos colaboradores nas mídias sociais. Essa orientação também vale para os líderes e gestores. Cabe a estes, inclusive, um trato ainda mais cauteloso de suas interações nas redes.

O descumprimento dessa "regra de cautela" custou caro à rede de farmácias Panvel, envolta em polêmica esta semana por conta das opiniões do seu CEO que, em sua conta no Twitter, ingressou no pantanoso terreno da política.

Bastaram 26 caracteres para dar início a uma inesperada crise para a Panvel, que passou a receber uma enxurrada de críticas, movimentos de boicote à empresa, reclamação sobre preços praticados, etc.

A empresa, pressionada pelo evento crítico, usou a mesma rede para um pedido de desculpas formal, desautorizando o CEO.

Por fim, mais um ensinamento desse episódio é a da urgente necessidade de as empresas aumentaram a sua inteligência e compreensão sobre atualidade política no cenário brasileiro, marcado pela passionalidade e intensa polarização.

Marcelo Nepomuceno é pós-graduado em Comunicação Corporativa pela ESPM-Sul e proprietário da MN Comunicação Estratégica.

Comments