Se tá no feed do influencer, eu quero

Por Laura Borges, para Coletiva.net

O boca a boca existe desde que eu me conheço por gente. Todo mundo já levou em consideração a opinião de algum vizinho, parente ou amigo. Ele é uma ferramenta de marketing antiga, poderosa e que ainda vive.

A única diferença é que o boca a boca, nos tempos de redes sociais e 4G MAX mudou de nome. Hoje, chamamos de marketing de influência. E está na mão dos influenciadores.

E por influenciadores, eu me refiro àquelas pessoas que começaram a expor a sua opinião sobre algum tema e cresceram. Não atores de novela ou jogadores de futebol. São aqueles que ganharam seguidores por mostrar a sua vida real. Mais do que isso, ganharam voz e foram capazes de influenciar com um poder maior que as tradicionais celebridades.

Hoje, cerca de 92% dos consumidores confia mais em dicas de influenciadores do que em publicidade de marcas. E mais de 74% deles usam as redes sociais e a opinião dessas pessoas na hora de decidir uma compra. WOW!

Mas, por que a voz dos influenciadores é tão importante a ponto de marcas pagarem cifras absurdas para terem um espaço no feed e no dia a dia dessas pessoas? Autenticidade.

A maioria desses influenciadores ou blogueiros, como a gente costuma chamar, são autênticos. Experimente vender uma ideia que algum deles não acredita. Experimente fazer eles usarem algum produto que não faz parte da rotina de suas vidas. Não afirmo com 100% de certeza que é impossível, mas arrisco uns 80%, só pelo desafio.

Os influenciadores de hoje não aceitam mudar sua forma de se comunicar dentro de seus canais. Eles são defensores do seu estilo, da sua marca registrada. É assim que são conhecidos e é isso que o seu público busca. Publicidade tradicional, você não encontra aqui.

E mais do que autênticos e defensores de seu jeito de ser, eles são corajosos. Posso listar alguns - muitos - que mostraram o lado real de algum produto ou de algum problema de suas vidas. Isso é o que nos aproxima de cada um deles: essa vida real, mesmo que de longe e enfeitada. E mesmo que sejamos 1 em 2 milhões.

Pra nós, que estamos no lado de cá, é como se voltássemos pros tempos daquele boca a boca. Uma propaganda que a gente confia, porque quem faz, é gente como a gente. Aquele amigo que mora logo ali, do outro lado da rua.

Laura Larre Borges é gerente de Criação da W3haus e metida a influenciadora nas horas livres. Se quiser, pode seguir lá! @fossafashion

Comments