Copo meio cheio ou meio vazio? Na dúvida, veja sempre o lado bom das coisas

Por Diego Dornelles, para Coletiva.net

Em épocas de mercado em reinvenção, é comum escutarmos de clientes questionamentos sobre resultados, sempre com aquela dúvida de "será que não conseguimos fazer mais com a mesma verba?". E, com isso, vem aquela reflexão própria: será que estamos olhando para o copo meio cheio ou meio vazio?

Eis que, esses dias, me vi analisando um relatório de mídia, completo de dados, métricas e informações, fruto de uma big data que une diversas ferramentas de inteligência e marketing digital, com conhecimento supercompleto sobre a audiência. Nesse momento, me veio a seguinte questão: a gente sempre quer fazer mais, mas o que fazemos de esforço extra para ter essa porcentagem a mais de audiência interessada em nós?

Com isso em mente, resolvi indagar mais o cliente e fazer algo que, muitas vezes, as agências pecam. Procurei me posicionar e apontar as ações dos concorrentes, trazer dados do mercado, comparativos e demonstrar tudo nos mínimos detalhes. Afinal de contas, a crise sempre pega primeiro os menos precavidos, não é?

Metáforas à parte, é sempre mais fácil encontrar razões no comodismo do que reinventar-se. Em tempos atuais, a falta de informações deixou de ser um problema, mas surgiu, com isso, o excesso. É comum, muitas vezes, termos dificuldade em saber o que fazer com tantos dados e conhecimentos. O que são essas siglas todas que um relatório digital traz? O que saber sobre a estratégia da concorrência me agrega? O que fazer com esses dados de consumo de outro público?

Vem, então, a principal questão do nosso mercado: será que o publicitário está reaprendendo com tudo isso? Será que ele já consegue entender com clareza toda essa tecnologia de informação e transformar isso em fonte útil para os clientes? Ou será que permanece utilizando de práticas antigas e ignorando o novo? É compreensível passar a olhar para o copo como meio vazio quando se está perdido em meio a mudanças, sem saber o que fazer.

Otimista que sou, sempre vejo o copo meio cheio. Digo que sim, mesmo com muita dor, estamos vendo no mercado as agências se reinventarem e criarem valores atuais. Elas não apostam mais no agenciamento de mídia, mas na inteligência, na entrega e no propósito que essa profissão tem. Estamos vendo agências notando as mudanças e querendo ser parte delas, não se deixando afundar pelas novidades desconhecidas que elas trazem. Acho que temos muito a mudar, muito a descobrir, mas também muito a vencer e melhorar!

Devemos pensar como consultores, não agenciadores. Devemos ser as pessoas estratégicas do negócio e, principalmente, nunca se esquecer de colocar o foco no que interessa: as pessoas.

Se reinvente. Se o copo continua vazio, dê um jeito de enchê-lo com conhecimento e leve isso para seus projetos. Discuta novas abordagens e não tenha medo de usar das tecnologias que surgem para recriar sua forma de comunicar. Mas não esqueça: como bom publicitário que é, cobre por isso!

Diego Dornelles é publicitário e sócio-diretor de operações da Propale*com.

Comments