Parceiros em tempos difíceis...

Por Katia Marques, por Coletiva.net

Viemos de alguns anos bem complicados, anos de aperto de cinto, reengenharia de pessoal, negociação de valores... Quem nunca?

O ano de 2019 vislumbra novos ares - tem energia nova no ar - mas, independentemente da situação econômica e do volume de campanhas aprovadas, o que NUNCA, isso mesmo, NUNCA podemos deixar de lado, são os parceiros.

Parceiros que escolhemos nessa longa caminhada, profissionais competentes que com pontualidade e qualidade entregam o teu job "redondinho".

Falo isso porque alguns clientes esquecem momentos passados, de redução de valores, de pagar um fuquinha e receber um Audi, sim, muitas vezes, para não comprometer o job e valorizar o trabalho do teu cliente a produtora arca com um cachê maior de um cantor ou locutor ou arranjador, até porque, pela experiência, o produtor sabe com que profissional o job vai funcionar (humm, acho que vou escrever um artigo sobre isso, experiência, tão em baixa hoje em dia) não repassando esse valor para o cliente, isso porque? Pela parceria. Parceria exige respeito, cumplicidade, conversa olho no olho, ajustes sim... mas vamos com calma, todos precisamos pagar as contas, ok?!

Infelizmente, o que vejo hoje ultrapassou essa linha tênue de parceria e profissionalismo. Hoje, é olho por olho e dente por dente!! Gente!!! Vamos acordar? Relações duradouras sejam quais forem, requer cuidado e atenção. Parceiros não são fornecedores, são parceiros, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, é assim que se constroem relações.

Agora vão dizer: "Mas tu estás falando do lado pessoal ou profissional, afinal?". Dos dois, porque os dois funcionam da mesma forma, talvez o valor seja subjetivo no lado pessoal (em alguns casos. até não rsrsr), mas usam a mesma fórmula: atenção + cuidado + feed Back + valor.

Em relações de parceria o valor é um dos últimos itens que importam, porque, antes disso, tem um monte de coisas bem mais importantes, tem a energia.

A prosperidade só vem com comprometimento e, se você tem parceiros comprometidos, parabéns, o jogo está ganho.

Relações comerciais e profissionais são complicadas. Gerenciar pessoas é mais complicado ainda, mas a base para tudo isso é a empatia.

Vamos crescer, mas vamos crescer juntos. Chega do exemplo do caranguejo que tanto usam aqui no Sul. Não conhece? É o seguinte: dizem que, aqui, no Sul, as coisas não andam e não evoluem porque as pessoas são como caranguejos dentro de um balde. Quando um consegue subir e está prestes a sair do balde, vem outro caranguejo e o puxa para baixo novamente. Feio, né? Feio demais!!! Chega disso" E usando um jargão muito utilizado nas eleições 2019: "Ninguém solta a mão de ninguém", e me arrisco a incluir: "Ninguém solta a mão de ninguém e vamos crescer juntos"!!!

Katia Marques é diretora de Atendimento na Balacobaco.

Comments