Carpinejar: o inspirador do texto de hoje

Por Grazielle Araújo

Dia desses tive o prazer de bater um papo, entrevistar e depois assistir uma apresentação do Fabrício Carpinejar. Ouvir ele é quase como se estivesse escutando alguém lendo uma poesia, um texto que já está pronto na cabeça e no coração. Emocionante, de verdade. Falamos sobre a relação de pais, filhos, netos e de tudo isso que fica em torno. Da importância do perdão, do reconhecer que o outro talvez dê o seu máximo, mesmo que para nós ainda seja tão pouco. Dá para entender o porquê ele está chegando cada vez mais longe. 

Uma situação também me chamou a atenção, quando acompanhei uma entrevista que ele estava concedendo para uma estudante de Jornalismo. Ele contou, entre outras coisas, que se considera um ponto fora da curva, um erro de estatística. "Minha dicção não é perfeita e faço rádio, não sou um cara bonito e estou na televisão, fui diagnosticado com retardo mental e escrevo para o jornal", ele destacou.

Ouvindo isso eu pensei comigo: - que regra é essa que tu tens que seguir para almejar o sucesso profissional? Para não poder sonhar em ser alguém que tu sempre quis ser? Precisa mesmo seguir o tal padrão? Que imposição bem ridícula que a sociedade nos impõe?

Talvez eu tenha me tornado leitora dele porque temos várias coisas em comum. Usamos o bloco de notas como parceiro de criação, como guardião das nossas inspirações repentinas (leia-se na madrugada, no trânsito, no meio de uma conversa de bar). Gostamos de escrever como se estivéssemos falando com quem nos lê, é o nosso jeito de aproximar as pessoas com o que pensamos. Que ousadia a minha querer dizer que somos parecidos em algumas coisas. É que eu também escolhi escrever por amor, por dom, por gostar de falar bastante. Sobre mim, das coisas ao meu redor, das sensações que o mundo nos põe a frente, como se fosse uma sugestão de pauta que o acaso oferece. O "papel" cumpre exatamente a sua razão de ser, permitindo estampar em palavras o que está dentro do nosso coração.

Autor
Grazielle Corrêa de Araujo é formada em Jornalismo, pela Unisinos, pós-graduada em Marketing de Serviços, pela ESPM, e com MBA em Propaganda, Marketing e Comunicação Integrada, pela Cândido Mendes. Atualmente é chefe de Comunicação Social na Casa Civil do Rio Grande do Sul. Também responde pela Comunicação Social do Instituto de Previdência do Estado do Rio Grande do Sul (IPE-RS), da Sociedade de Cardiologia do RS (Socergs), da Associação Gaúcha para Desenvolvimento do Varejo (AGV) e da Valor Fiscal. Tem o site www.graziaraujo.com.

Comentários