"O problema não é a tecnologia, mas o uso que se dá a ela", sentencia Marcele Aline

Profissional dividiu apresentação sobre Google Education com Daniel Padilha Garrido

Daniel e Marcele - Divulgação/ Coletiva.net

No início da tarde desta sexta-feira, 16, um dos assuntos mais debatidos no palco três foram educação e tecnologia. Na palestra 'A Inovação na Educação. O uso das tecnologias Google', a dupla Marcele Aline da Silva Garrido e Daniel Padilha Garrido falou sobre a aplicação de ferramentas no ensino e como isso impacta na educação. "O problema não é a tecnologia, mas o uso que se dá para ela", declarou Marcele. Na ocasião, eles apresentaram uma série de investimentos que o Google fez para auxiliar na questão da educação.

Ao apresentar diversos exemplos, Marcele mostrou como é possível aproveitar essas facilidades para melhorar o ensino e engajar os alunos. "No Brasil, temos leis que proíbem o uso de dispositivo móvel em sala de aula. Precisa mesmo disso? Será que não conseguimos fazer com que esses celulares e computadores se tornem aliados dos professores?", questionou. Para exemplificar, ela convidou os cerca de 25 presentes para tirar uma selfie e publicar na plataforma gg.gg/nossa_selfie. "De que forma podemos fazer essa prática ser útil? Provocando os alunos a postarem fotos relacionadas ao assunto tratado em sala de aula", explicou.

O colega Daniel, em sua participação, deu uma breve explicação a respeito da rede social que o Google desenvolveu para ser usada em sala de aula. "É uma ferramenta confiável de armazenamento de conteúdo que facilita a vida do aluno e do professor", falou, ao citar Chromebook, G Suite for Education e Google Classroom, que visam à formação e à informação. De acordo com ele, "o maior medo de um professor é passar vergonha na frente dos alunos, especialmente quando se refere ao uso de equipamentos eletrônicos". "Pensando nisso, o Google for Education foi feito para o professor voltar a ser o protagonista da história que ele está ajudando a escrever", destacou.

Segundo ele, as ferramentas dessa natureza devem ser fáceis, acessíveis, versáteis e impactantes. Marcele, então, complementou avisando que a plataforma que o Google fornece visa ao meio e nunca teve a intenção de fornecer conteúdo, que é de responsabilidade do professor. "O aluno tem tudo na palma da mão, no celular. Será que não dá para dar ao celular um uso pedagógico?", instigou o público.

O evento tem cobertura em tempo real realizada pela equipe do portal Coletiva.net, com apoio do Grupo Record RS.

Comments