Douglas Lunardi, diretor de Comunicação da CBF, abre último painel do dia

Em sua fala, profissional expôs os cenários atuais dos direitos transmissivos realizados pela confederação

Douglas Lunardi, da CBF - Divulgação/Coletiva.net

Iniciando o quarto e último painel do dia, nomeado como 'Conteúdo para empresas Públicas', Douglas Lunardi, diretor de Comunicação da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), foi quem abriu a palestra. Em sua exposição, trouxe aspectos como reflexões sobre as questões dos direitos transmissivos dos campeonatos organizados pela entidade.

Ele, que trabalha desde 2015 na CBF e que tem passagem, também, pela GrêmioTV, relatou que a experiência vivida na confederação é bem diferente da do clube. "Lá, eu faço ótimos conteúdos que são vendidos com direito de transmissão. Na CBF, temos material que a gente produz como agência de conteúdos e a gente compra também", falou, complementando que a entidade também é uma marca. Enquanto no Grêmio, ele tinha telespectadores defensores, além da proximidade com os torcedores e os jogadores, oq eu não ocorre na CBF, onde o público é mais detrator, que procura abalar a imagem da entidade.

Sobre a produção de conteúdo que tem que gerar, Douglas exemplificou como funcionou a produção no último período de Copa do Mundo, em 2018. "Como o conteúdo do Mundial pertence à Fifa, desenvolvemos um programa paralelo para que pudéssemos transmitir treinamentos ao vivo, bastidores e coletivas", lembrou.

A respeito dos caminhos que os streamings estão tomando, ele citou que a própria CBF anda para uma vertente em que, daqui a quatro anos, a entidade seja uma grande central de distribuição de mídia. Para ele, o grande desafio não é o conteúdo, e sim, a plataforma, pois todo dia surgem novidades de transmissão deste tipo. "Só neste ano vamos transmitir 180 jogos ao vivo pela CBF TV", comemorou, e projetou que, em quatro, querem ter mil jogos por ano. "Vamos revolucionar o processo. Se vai dar certo, não sabemos. Passaremos a ser uma distribuidora de mídias como são todas as atuais, como SporTV, Fox Sports e outras", finalizou.

Comments