Sindicatos chegam a acerto para convenção coletiva dos jornalistas

Acordo ainda será assinado pelas partes para posterior homologação da Justiça do Trabalho

O aceite da proposta foi comunicado em reunião no TRT4 - Divulgação/TRT4

As negociações entre sindicatos pelo acordo coletivo dos jornalistas chegaram a uma definição. A categoria terá um reajuste de 2% para os profissionais que recebem menos de R$ 11 mil, com reposição do INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) do período - 1,76% - sobre os salários desde junho deste ano e aumento de 0,24% a partir de janeiro de 2019. A convenção coletiva segue agora para assinatura das partes envolvidas e, posteriormente, para homologação pela Justiça do Trabalho.

A proposta, apresentada pelos sindicatos das Empresas de Rádio e Televisão do Rio Grande do Sul (SindiRádio) e das Empresas Proprietárias de Jornais e Revistas (SindiJore-RS), foi aprovada em assembleia da categoria, no último sábado, 1º de dezembro. A decisão foi levada pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Sul (SindJors) à audiência de mediação, no Tribunal Regional de Trabalho da 4ª Região (TRT4), nesta semana.

Em entrevista ao Coletiva.net, o presidente do Sindicato dos Jornalistas, Milton Simas, reconhece que o aumento real de 0,24% ainda é baixo, mas afirma que é uma conquista da categoria, diante da dificuldade de acordo. "As negociações ficaram um pouco congeladas, porque, em um momento, a patronal deu as negociações por encerradas e, com orientação da nossa assessoria jurídica, buscamos a mediação. (...) Mas as conquistas são um reflexo da mobilização da categoria", considerou, ao relatar que houve uma retomada desses movimentos dentro da entidade.

Os valores referentes ao retroativo serão pagos também a partir de janeiro, com parcelas a serem negociadas. Já para o auxílio-creche, o reajuste é de 3%.

Leia mais:

Sindjors levará proposta da patronal para assembleia

Sindjors marca reunião com patronais no TRT4

Comments