Jornalista recebe distinção pela obra Nega Lu

Paulo César Teixeira foi premiado como Livro do Ano, na categoria não ficção, pela Associação Gaúcha de Escritores

Paulo César Teixeira | Divulgação
A obra "Nega Lu - Uma Dama de Barba Malfeita", do jornalista e escritor Paulo César Teixeira, o Foguinho, foi escolhida como Livro do ano, na categoria não ficção, pela Associação Gaúcha de Escritores. A premiação ocorreu na última sexta-feira, 5, no Centro Cultural Érico Veríssimo, em Porto Alegre. Editada pela Libretos e financiada pelo Fumproart - apoio municipal à produção artística local -, a publicação conta a trajetória de Luiz Airton Farias Bastos, que se autodeclarava Nega Lu. De acordo com o autor, esta é uma personagem que integra a história de luta dos negros e homossexuais da Capital.
Conforme Foguinho contou ao Coletiva.net, a distinção é encarada com surpresa, visto que o autor é jornalista e não escritor. "É o reconhecimento do meu trabalho e da própria personagem, que é importante para o cenário gaúcho", avaliou. Este é o terceiro livro dele, que reforça seu interesse na história recente e urbana de Porto Alegre. "Gosto de pesquisar as raízes. Um amigo meu diz que faço a arqueologia das sombras", explicou. O processo de produção levou um ano e, ao todo, foram entrevistadas 80 pessoas, dentre elas, amigos e familiares de Nega Lu.
A fotógrafa Tânia Meinerz, que assina as fotografias do título, registrou em rede social que se sentiu engrandecida com o prêmio do amigo. "Ele merece por seu texto, títulos e iniciativa em falar da forte Nega Lu e da cena boêmia e cultural de Porto Alegre. Acompanhei muitas entrevistas e valorizo a atenção dele em todas elas", apontou.

Comments