Daniel Skowronsky apresenta estudo sobre disrupção digital

CEO da agência Global conduziu a palestra 'Transformação das marcas na era da disrupção digital'

Daniel Skowronsky fala sobre disrupção - Divulgação/Coletiva.net

Uma das palestras que deu início à programação intensa da segunda edição do BS Festival foi a do CEO e fundador da agência Global, Daniel Skowronsky, que falou sobre 'Transformação das marcas na era da disrupção digital'. O publicitário dividiu com a plateia lotada da sala máster do hub POA Clínicas, com mais de 70 pessoas, o contexto que o mercado está vivendo, marcado por mudanças e turbulências imprevisíveis, para o qual as empresas não estão preparadas.

Ele apresentou um estudo internacional que mostra o impacto da disrupção digital em 14 setores, e, em primeiro lugar, está a indústria de mídia e entretenimento. "Todos os setores serão impactados mais cedo ou mais tarde", provocou, ao mencionar que "isso está afetando a visão das organizações e sua dinâmica, pois esses movimentos que entram no mercado mexem com a estrutura das empresas". 

Segundo Daniel, as companhias estão tendo dificuldade para entender essa nova lógica e as indústrias tiveram que se reinventar para sobreviver e se manter em relevância. Ele defendeu, no entanto, que não é possível separar disrupção digital do processo de branding. Pensando nisso, sua empresa criou uma ferramenta que ajuda a mapear a situação atual e a encontrar a cultura de branding, além de melhorar pontos que devem ser mexidos para avançar e acelerar a jornada de transformação da marca, a partir da imersão nos eixos de branding, disrupção digital e modelo de maturidade.

"A indústria digital bombardeou o branding e a estratégia de marca, que continua sendo muito importante, especialmente nessa era digital", declarou, ao explicar que o objetivo da plataforma é buscar retomar a estratégia de marca que acabou indo "para escanteio", conforme comparou. "Não podemos esquecer a gestão de marca a longo prazo, mesmo que a era digital nos demande resultados a curto prazo." A ferramenta já foi aplicada em empresas como Casa Valduga, Grupo Globo, Governo do Estado, Dell, Chevrolet e Sebrae.

Pensando em um futuro próximo, Daniel disse que as marcas devem ser mais flexíveis. "É inevitável que as marcas criem experiências para o usuário", afirmou. Ele falou, ainda, sobre a coleta de dados e informações, que será vital para que as marcas consigam monitorar em tempo real o que acontece no mercado, assim como a presença multicanal, uma postura de adaptação rápida às mudanças. "É uma visão em tempo real das coisas que estão acontecendo na indústria e nos outros setores, com uma postura mais humana com os usuários."

A equipe de Coletiva.net conta com o apoio do Grupo RBS e do Sicredi para a realização da cobertura em tempo real do BS Festival. Ao longo da programação, a editora do portal, Gabriela Boesel, as repórteres Júlia Fernandes, Luana Nyland, Marla Gass e Patrícia Lapuente, e a publisher Márcia Christofoli produzem conteúdo sobre o evento e seus bastidores, além de alimentarem as redes sociais com tudo o que acontece no evento.  

Comments