Um país colostomizado

Por Fraga

Lama.
Lama, muita lama, lama por toda parte.
Lama de todas as cores, odores e horrores.
Lama que escorre da política, se esparrama
pelos governos, se espalha na justiça.
E lama na indústria, no comércio, nos serviços.
Lama que vem desde longe na história,
lá do fundo da nação.
Lama a invadir a alma, a inundar o dia a dia,
a se impor ao país.
Lama no solo e no subsolo, nos dejetos e rejeitos,
lama sem jeito.
Lama misturada a lodo e engodos, ao barro e ao sarro.
Lama do nepotismo, do fisiologismo, do corporativismo.
Lama na Bolsa, nos bolsos que embolsam tudo e
também na bolsa bolsonara.
Lama na faca enlameada, nos carros enlameados
do Queiroz, nos depósitos enlameados dos laranjas.
Lama a encobrir os assassinos de Marielle Franco.
Lama a enlamear Mariana, Brumadinho e Brasília.
Lama que soterra, desterra, enterra, lama que nos aterra.
Lama que arrasta todos e arrasa tudo.
Lama tão impune que deixa o Brasil mais insone.
Lama, lama, lama, lama.

 

Onde se lê lama, pode ser lido merda.

 

Autor
Fraga. Jornalista e humorista, editor de antologias e curador de exposições de humor. Colunista do jornal Extra Classe.

Comments