20 anos de um Portal percursor

Por Elis Radmann

A Coletiva nasce no milênio passado, no ano em que Fernando Henrique inicia seu segundo mandato como Presidente do Brasil.

Uma ação ousada, produzir notícias para um público segmentado: levar as informações do mundo da comunicação para os profissionais que fazem a comunicação. Começava a construção de uma nova cultura, que colocaria os profissionais de comunicação em uma dicotomia: como sujeitos e objetos.

E a ousadia não ficou apenas na segmentação, se estendeu ao formato. A internet engatinhava no Brasil quando a Coletiva se tornou um portal digital, o Coletiva.net.

Nesse momento histórico, o movimento de migração estava associado à diminuição de custos e ao dinamismo da informação. Mas o Portal mostrou o seu pioneirismo, migrando do mundo offline para o mundo online e se relacionando cotidianamente com os profissionais por e-mail. E não vamos esquecer que nesse momento a internet era discada, não existia smartphone e muito menos redes sociais.

Foi uma quebra de paradigma que trouxe consigo muita simbologia, afinal de contas, o meio que monitora os acontecimentos da comunicação foi precursor de um caminho que tem transformado o próprio mundo da comunicação. O mercado de comunicação não previa que precisaria tanto de um veículo que tratasse de suas notícias, seus dilemas, suas tendências e expectativas futuras.

E nesse mês de abril de 2019 o Portal completa duas décadas, no início do primeiro mandato do Presidente Jair Bolsonaro, passando por três mandatos inteiros do PT e um mandato parcial com impeachment.

E durante esses governos houve a entrada e a explosão da tecnologia corporificada em smartphone, mídias digitais e redes sociais. E as mídias digitais mudaram a forma como as pessoas se relacionam com o jornalismo e a publicidade. Tal fato fez com que cada profissional tivesse a necessidade de se reinventar.

Em um mundo em transformação, o Portal manteve seu espírito desbravador e aliou o conhecimento adquirido ao longo de sua caminhada com a expertise da nova gestão. Essa combinação fez com que o Portal aprimorasse e ampliasse a sua capacidade de registrar informações sobre o mercado da comunicação e conseguisse aumentar o sentimento de pertencimento do segmento.

E o Coletiva.net conseguiu ampliar o sentimento de pertencimento da categoria em torno de si por: a) manter um espaço que os profissionais da comunicação podem chamar de seu; b) manter atualização constante dos movimentos da mídia tradicional e digital, contextualizando seus redesenhos e ressignificados; c) mostrar como os profissionais se movimentam nesse meio; d) sistematizar informações adicionais e estratégicas para o mercado.

Um espaço ímpar para os mais de vinte mil profissionais de comunicação cadastrados ao Portal, um local onde se sabe das notícias boas e ruins do mercado, um espaço para depoimentos e debate das tendências. Em síntese, um espaço onde os profissionais de comunicação também são a fonte de informação.

Autor
Elis Radmann é cientista social e política. Fundou o IPO - Instituto Pesquisas de Opinião em 1996. Utilizando a ciência como vocação e formação, se tornou uma especialista em comportamento da sociedade. Socióloga (MTb 721), obteve o Bacharel em Ciências Sociais na UFPel e tem especialização em Ciência Política pela mesma universidade. Mestre em Ciência Política pela UFRGS e professora universitária, Elis é diretora e Conselheira da Associação Brasileira de Pesquisadores de Mercado, Opinião e Mídia (ASBPM) www.asbpm.org.br

Comments