Notícias de mercado da comunicação do RS.

Home Colunas Bobagens bilaterais

Bobagens bilaterais

Compartilhar
,

Por um lado, os xifópagos privam de tudo entre si. Por outro, não têm privacidade alguma.

Por um lado, o geômetra é cartesiano. Por outro, tem suas facetas.

Por um lado, o prisma é um objeto discreto e incolor. Por outro, é o próprio orgulho gay.

Por um lado, o filósofo parte de qualquer premissa. Por outro, não chega a lugar algum.

Por um lado, o pêndulo faz tic. Por outro, faz tac.

Por um lado, a esquina é sólida, rígida, imóvel. Por outro, nós a dobramos.

Por um lado, o indeciso está em condições de hesitar. Por outro, é capaz de vacilar.

Por um lado, os antípodas estão no outro hemisfério. Por outro, somos sua recíproca neste aqui.

Por um lado, a ampulheta derrama prazos. Por outro, escorre pressa.

Por um lado, Mauritius Cornelius Escher desorienta. Por outro, guia nossa gestalt.

Por um lado, o Minotauro não sofria de claustrofobia. Por outro, Teseu não tinha labirintite.

Por um lado, o palíndromo é leitura ocidental. Por outro, também se lê à maneira oriental.

Por um lado, a pilha é positiva. Por outro, é alcalina.

Por um lado, o estrábico concorda com o seu interlocutor. Por outro, diverge.

Por um lado, o pára-brisa não para. Por outro, nem brisa.

Por um lado, um ambidestro pode ser inábil com as pessoas. Por outro, um maneta pode ter destreza social.

Por um lado, o marido é o último a saber. Por outro, é o primeiro a ser enganado.

Por um lado, o ioiô é inércia pura. Por outro, é puro ócio.

Por um lado, o morcego troca o dia pela noite. Por outro, inverte o sono.

Por um lado, o bumerangue é controlável. Por outro, é indescartável.

Etc.

 

ENQUANTO ISSO, NUMA EMPRESA QUALQUER

cartum-FRAGA-unica-vaga

 

frases-140815

 

No tom da notícia

(Depois de você sabe quem)

Olha que coisa mais finda
Mais feia na praça
É ela, a chacina
Que vem e trespassa
Uns doze, balaços a caminho do mal

Poça do corpo furado
Ao sol sem poema
Um justiçado já é mais que uma pena
E a corja vai rindo, vai sem pesar

Ah, porque tanto tiro
Ah, porque tudo é tão rifle
Ah, a baixeza que exibe
A baixeza que não é sozinha
Que também trucida velhinhas

Ah, se a Morte soubesse
Que quando ela caça
O mundo, sol indo, só teme desgraça
E fica mais findo
Por causa da dor 

 

CARTELA-FRAGA-falso-testemunho