Notícias de mercado da comunicação do RS.

Home Colunas Das sentenças

Das sentenças

Compartilhar
,

Os cidadãos brasileiros adoram uma sentença. Uma frase feita, de impacto. Porque sentenças, como diz o termo, tendem a ser definitivas. E o que a maioria das pessoas busca senão sentenças definitivas acerca das questões da vida? A dúvida gera tensão, a sentença a tranquilidade. Mesmo que ela encerre em si uma tranquilidade da ignorância. Sim, porque estou cansado de ver sentenças definitivas sobre um assunto estarem equivocadas. Querem um exemplo? Eles estão por aí, na boca de políticos, de “intelectuais”, muitas vezes de compositores (se bem que estes abusam do efeito que causa uma sentença, por licença poética), de escritores e fundamentalmente na boca do povo mesmo.

Em situações adversas como enfrentamos no Brasil nos últimos meses, a maioria das pessoas espera um salvador da pátria que profira (com o perdão do verbo) frases que soem como cláusulas pétreas da Constituição, mas para a vida. As pessoas não aguentam as incertezas advindas de um processo traumático como o que estamos vivendo: incerteza e dificuldades econômicas, instabilidade política, um futuro totalmente não sabido. Então surgem aqueles que se alçam à condição de profetas, adivinhos. E quando o fazem com frases de efeito então, ganham a massa.

Mas esta não é uma coluna de combate às sentenças, apesar de parecer. Porque há sentenças que realmente encerram em si toda uma verdade (normalmente fruto de muita observação e às vezes séculos de amadurecimento de fatos), toda uma certeza.

Porém, por estarmos vivendo tempos de mudanças muito rápidas, acabamos por nos perder: o que realmente está mudando e o que não está mudando? A natureza humana acaba ou não mudando ou mudando pouco (eis-me sentenciando). Já fatos como o trabalho, a tecnologia (nem se fala), até mesmo o modo com que as pessoas se relacionam(seja em função da tecnologia, do tempo ou dos tempos), estão mudando e rápido.

Aí que entra a grande dificuldade: o que realmente está mudando e o que não está? O ser humano tem uma tendência à preguiça e uma aversão à tensão. Então, ele prefere que decidam por ele em muitas áreas, para que não fique pensando, pois o pensamento pode gerar dúvida, a dúvida acaba por gerar incerteza e tensão. Então, ele terceiriza as decisões e as sentenças. Que alguém pense e diga as verdades por mim. Que alguém decida por mim. Parece fácil, não? Mas não é. Porque decisões tomadas com a minha omissão podem não ser as mais sábias e tampouco do meu agrado. Mas se eu não estou lá para decidir, acabo por ser obrigado a acatar. Já pensamentos e lógica desenvolvidos por alguém que me traz a coisa pronta, podem não ser os mais acertados e nem traduzir as minhas verdades. E aí, como fica? Não podemos terceirizar o nosso cérebro. É preciso pegar as rédeas da vida e enfrenta-la de peito aberto, sabedor de seus riscos, mas com a certeza de que as decisões, erros(e também acertos), serão meus. Para minha tristeza ou felicidade.

DICAS DO GUION

Tempos de estreias, pré-estreias e muitas continuações de altíssima qualidade! A cada semana o Guion parece mostrar como se une filmes de alta qualidade, relevância, com diretores e atores do primeiro time, tudo isto em salas confortáveis, ambiente climatizado, sempre se podendo fazer aquela dobradinha: passar na cafeteria do Guion antes do filme para se preparar e depois mais um cafezinho, para debater o filme. Ou escolha entre as suas variadíssimas delícias. Mas vamos lá:

PRÉ-ESTREIA

Monsieur & Madame Adelman (Comédia dramática-romance, França, direção de Nicolas Bedos, 120 min)

ESTREIA

A Vida de Uma Mulher (Drama, França-Bélgica, direção de Stéphane Brizé, 119 min)

EM CARTAZ

E seguem os excelentes Perdidos em Paris, Frantz, Uma Família de Dois (com Omar Sy) e Neve Negra(com Ricardo Darín).

Ou seja, amigo leitor, há atrações para todos os gostos e todos os horários. O lugar que não varia: vá para o Guion, pois o complexo cultural, como diz o nome, respira cultura! Mais informações em www.guion.com.br.

ÓTICAS CAROL – ENXERGANDO TUDO, LONGE E MUITO BEM

A Óticas Carol nasceu em 1997 em Sorocaba, interior de SP. Nestes 20 anos de história, muita coisa boa ocorreu, com uma expansão baseada na qualidade de seus produtos (como lentes de primeiríssima linha nacionais e internacionais e um laboratório 100% digital (o que possibilita preços entre 30% a 50% mais baratos)) e atendimento(profissionais qualificados e condições excelentes de pagamento(10 x para as compras). Ou seja, uma campeã! A guinada da Óticas Carol iniciou a partir da entrada de seu atual presidente, Ronaldo Pereira, que trouxe experiência, novas ideias e muito talento ao grupo. A Óticas Carol é a única rede óptica a ter laboratório 100% digital. Das suas mais de 1.000 lojas no Brasil, estão no RS 32 lojas, sendo 9 delas em Porto Alegre. Dito tudo isto, posso assegurar que a Óticas Carol entrega tudo isto e muito mais. Ambientes e pessoal altamente preparados, produtos de ponta e tudo e muito mais, pois ela está sempre enxergando além, com a precisão típica de arrojados administradores e de lentes de ponta. Passe hoje mesmo em uma ótica Carol e conheça de perto os óculos para você que precisa ou óculos solares, ambos para seu conforto e com muito estilo, naquela que é a maior rede de óticas do Brasil! Eu pude comprovar e por isto testemunho!  Escolha agora a sua loja em www.oticascarol.com.br. Não deixe para depois, pois visão é especialmente essencial!