Qual o tipo de consumidor você é?

Estudar o comportamento da sociedade é viver em um eterno aprendizado. Um mesmo indivíduo participa de vários campos que compõe a sua realidade: é um eleitor, é um consumidor, é um cidadão, integra uma família e assim por diante. E o comportamento deste indivíduo em cada um dos campos da realidade social é constituído pelas mesmas variáveis conjunturais e estruturais.

O melhor exemplo está na variável econômica. A situação econômica do País afeta diretamente a qualidade de vida das pessoas e interfere nos comportamentos, delimitando o ânimo da opinião pública, as tendências eleitorais e o comportamento do consumidor.

Outra variável que afeta o comportamento da sociedade é a tecnologia, em especial, o papel que a internet e as redes sociais passam a ocupar no seio familiar, nas relações de trabalho e nas situações mais elementares do dia a dia.

E a terceira variável com papel importante na formação das decisões está associada ao estilo de vida e ao nível de individualismo. Quanto maior for o individualismo, menor será o sentimento de comunidade e a influência da família na decisão de compra.

Analisando as principais variáveis que interferem no comportamento da sociedade, o IPO - Instituto Pesquisas de Opinião elaborou uma tipologia do comportamento do consumidor gaúcho.

E onde você se encaixa como consumidor?

O consumidor de tendências = É o consumidor que acompanha a moda. Quer estar sempre atualizado, adora novidades. Para este consumidor é vital a importância da marca no processo de decisão. Este comportamento está associado à decisão de compra hedônica (necessidade de prazer, emoção, vaidade, etc).

O consumidor racional = É o consumidor funcional que manifesta uma decisão de compra utilitária. Planeja a compra, calcula o custo X benefício de sua decisão. Pesquisa preço, avalia as vantagens da compra. Muitos consumidores utilitários economizam primeiro para comprar depois.

O consumidor impulsivo= É o consumidor tipicamente consumista. Compra tudo que vê, mesmo quando não pode. Neste tipo de comportamento se incluem aqueles que são viciados e se sentem felizes quando estão comprando e frustrados após a compra, quando avaliam que o que foi comprado não tem importância e pode resultar em problemas financeiros.

O consumidor consciente = Tem uma visão de mundo e acredita em ideais e princípios. O consumidor consciente, para escolher os seus produtos, além do preço e da marca, leva em consideração o meio ambiente, a saúde humana e animal e as relações de trabalho.

O consumidor anticonsumo = Este grupo se constitui em duas lógicas distintas, mas que mantém a mesma prática: evitam realizar compras. O primeiro grupo é constituído pelo consumidor que não tem tempo ou não gosta de comprar. Só compra o essencial e em situações de necessidade extrema. Na maioria dos casos, este consumidor tem o apoio de um familiar.

O segundo grupo é formado pelos consumidores que defendem a substituição de produtos industrializados por produtos caseiros e a realização de escambos de produtos entre as pessoas.

Para entender cada um destes comportamentos são analisadas a faixa etária e a renda familiar, variáveis vitais para delimitar a preferência pelo canal de compra: presencial ou virtual.

Como há muitas mudanças a caminho o questionamento continua: a sociedade muda os comportamentos ou os comportamentos mudam a sociedade? E quando há questionamento, há trabalho para os cientistas do IPO.

Autor
Elis Radmann é cientista social e política. Fundou o IPO - Instituto Pesquisas de Opinião em 1996. Utilizando a ciência como vocação e formação, se tornou uma especialista em comportamento da sociedade. Socióloga (MTb 721), obteve o Bacharel em Ciências Sociais na UFPel e tem especialização em Ciência Política pela mesma universidade. Mestre em Ciência Política pela UFRGS e professora universitária, Elis é diretora e Conselheira da Associação Brasileira de Pesquisadores de Mercado, Opinião e Mídia (ASBPM) www.asbpm.org.br

Comentários