Indústria de mídia e entretenimento aposta na convergência

Pesquisa da PwC também registra que anúncios digitais para dispositivos móveis irão ultrapassar seu equivalente na internet fixa

Carlos Giusti - Divulgação/PwC

O setor de mídia e entretenimento deve ter um crescimento global anual médio de 4,4% até 2022. A previsão é da 19° Pesquisa Global de Entretenimento e Mídia 2018-2022, feita pela PwC. O estudo, apresentado pelo sócio da empresa, Carlos Giusti, também aponta que o aumento do consumo e da publicidade em plataformas digitais para dispositivos móveis estão refletindo no número de consumidores conectados pelo mundo, e que, em quatro anos, dados usados em smartphones para o consumo de mídia e entretenimento excederão os dados consumidos em banda larga fixa. A empresa também analisou 15 segmentos da área em 53 países e registrou que a receita global deve alcançar US$ 2,4 trilhões em quatro anos.

O segmento de games em realidade virtual apresentou índices médios de crescimento anual de 40% ao longo de cinco anos, assim como o de OTT (over the top) de vídeos na internet, que deverá crescer 10% ao ano até 2022. No entanto, o levantamento mostra que o baixo crescimento dos gastos do consumidor (3% ao ano até 2022) reflete nos gastos do anunciante, nos ambientes físico e digital. Jornais e revistas sentiram esse impacto e vem caindo na receita total, mas, por outro lado, apresentam crescimento em plataformas digitais. É esperado para impresso um aumento de 9,5% ao ano nas receitas de assinaturas online. Para publicações, serão 7% ao ano na publicidade digital.

Conforme apontou a pesquisa, o Brasil começa a recuperar seu cenário econômico e os investimentos nos segmentos de mídia e entretenimento estão mais robustos, especialmente em novas tecnologias e em infraestrutura de rede de internet. O acesso à internet e serviços de streaming de vídeo e música apresentam as maiores taxas de crescimentos do setor nos próximos cinco anos no País. O estudo também apontou que jornais e revistas devem continuar em queda no formato impresso. Na publicidade, o destaque é, mais uma vez, o crescimento de anúncios em vídeo no celular.

É previsto que o setor deve movimentar quase US$ 53 bilhões em 2022 no País e os gastos com acesso à internet apresentam o maior crescimento entre consumo, publicidade e acesso. Os valores de consumo e de publicidade também aumentam: 2,2% e 5,2% respectivamente. A TV aberta segue sendo preferência do anunciante, mas o estudo aponta que haverá perda de marketshare no período de previsão para a publicidade na TV paga e para a internet, que crescem ambas 12% ao ano até 2022.

A pesquisa completa pode ser acessada em www.pwc.com.

Comments