Setor Audiovisual do Estado escreve carta aberta a favor da Ancine

Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, manifestou interesse em extinguir o órgão

Carta rebate intenções do atual presidente nacional - Reprodução

Após declaração do presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, relatando que 'se não puder ter filtro, nós extinguiremos a Ancine', e irá transformá-la em secretaria, o Setor Audiovisual do Rio Grande do Sul publicou uma carta aberta em defesa da liberdade de expressão e da manutenção da entidade maior. Publicado ontem, 22, o documento relata que "os atos e declarações manifestadas por parte do governo federal compreendem uma série de equívocos, que podem gerar graves consequências para a cadeia produtiva do audiovisual e para o princípio de liberdade de expressão no país".

Em outro trecho, é destacado o impacto que a medida traria para a cadeia produtiva do audiovisual, que, segundo a carta, movimenta mais de 25 bilhões de reais por ano - a cifra corresponde a quase 0,5% do PIB brasileiro. O documento ainda registra que o setor gera cerca de 100 mil empregos diretos e 200 mil vagas indiretas.

O inteiro teor da carta escrita pela entidade pode ser conferido aqui.

Comments