Nestes meses você está lendo ou bebendo?

Por Julio Gostisa, para Coletiva.net

Porto Alegre dia 17 de Março, início do isolamento. Não pensamos muito a respeito. Buscamos nossa filha no colégio e passamos no supermercado. Etapa de reclusão social que perdura até hoje. Mas vamos falar de trabalho.

Vivo o dia a dia de duas indústrias. Mundo gráfico e dos vinhos. São diferentes, mas conectados de alguma forma. Comecei minha vida profissional na Zero Hora em 1988 e naquela época o papel já tinha seus dias contados. Me mudei para os Estados Unidos em busca de uma formação internacional e continuei ligado ao mundo dos equipamentos de impressão. 

Viajando o mundo inteiro visitando clientes me dei conta de que não queriam falar de máquinas e projetos quando estávamos jantando, mas sim sobre vinhos. Resolvi, então, além de estudar o mundo impresso de meus clientes que deveria aprender muito mais sobre o mundo dos vinhos. Como acertei nesta decisão. Hoje sou uma pessoa mais feliz e um profissional mais completo por ter acesso a duas indústrias. Em ambas sigo focado no segmento comercial e buscando conhecer ao máximo o comportamento do seu consumidor.

Maioria dos meus clientes de produtos impressos está com sérios problemas, tiragens menores, menos anúncios de publicidade e sofrendo com uma gigante migração ao mundo digital sem retorno financeiro. Mas sigo perguntando: será que as pessoas estão deixando de ler? Será que as preocupações atuais estão se unindo às distrações do mundo digital e estamos acreditando que estamos atualizados? O que você tem lido ultimamente? Isso mesmo, você!

Acredito que infelizmente estamos, sim, lendo bem menos do que deveríamos. A indústria da impressão irá sofrer um novo "back" e ficará cada vez menor nos próximos anos. Não irá acabar, mas certamente terá um novo foco em termos prioridades que serão colocadas no papel. Tudo será revisado, tiragens definidas em várias reuniões e anunciantes deverão ser engajados ao produto de forma inovadora. Afinal, somos uma indústria meio e a mensagem deve seguir sendo transmitida.

Meu outro mundo, o dos vinhos, também está passando por mudanças grandes. Consumidor trancado dentro de casa e somente tendo acesso aos supermercados acaba sendo gentilmente forçado a cozinhar mais em casa. Cozinhar lembra harmonização, lembra tempo de meditação e de compensação por todos os dias "perdidos" dentro de casa e distante da antiga rotina. Consequentemente as vendas de vinhos nestes dois canais (mercado e delivery) subiram bastante, mas não compensaram as perdas dos bares, restaurantes e eventos estando fechados ou cancelados. 

Resumindo, eu gostaria muito que você estivesse lendo mais (de tudo) e bebendo mais vinhos (com moderação) neste tempo de home office. Tente encontrar um equilíbrio interior, procure por um livro novo, uma revista legal que você sempre curtiu, procure artigos daquele colunista que você se identifica e compre um vinho legal. Não postergue sua vida para mais tarde. Encontre um vinho que te ajude a pensar, que seja emblemático e que te ajude até mesmo a meditar. Acredite em mim, pois estes dois produtos existem. No meu caso eu sigo lendo e bebendo.

Julio Gostisa é produtor de vinhos nacionais e diretor comercial da Gráfica Cromo de Bento Gonçalves.

Comments