Sobre tecnologia e pessoas

Por Claudia Praetzel, para Coletiva.net

Podemos dizer que o mercado da comunicação é formado por profissionais de uma geração analógica e também por profissionais que nasceram na era digital. Fico feliz em poder acompanhar de perto essa evolução que acontece em todos os segmentos da sociedade. Isso me permite aprender a respeitar a transformação e me reinventar a partir disso.

É verdade, para todo mundo, que tudo se transformou em um curto espaço de tempo. O mercado publicitário, acompanhando o movimento de outros setores, precisou de novas práticas e enxergou que era preciso enfrentar desafios diários para conseguir avançar em direção à mudança. 

Foram naturais todos os percursos e cenários que se formaram a partir do avanço da tecnologia, de novas ferramentas e de novos formatos de comunicação. Vimos o ser humano se transformar em um ser cada vez menos sociável e cada vez mais bem informado e atualizado.

Sabemos da necessidade em levar a verdade em tudo o que se produz, porque o ambiente digital e o espaço criativo que ele oferece são de tudo e de todos. É uma verdadeira montanha russa de erros e acertos, mas entre os muitos benefícios sublinho alguns relevantes na área que atuo.

Com o surgimento do marketing digital, vieram a mensuração e os dados, que ajudam a ampliar os cenários e a compreender o ambiente de negócios de nossos clientes. Hoje, é possível propor estratégias de maneira mais assertiva e com melhores resultados aos nossos parceiros.

Isso a RBS tem feito conjugando área comercial e inteligência de mercado. Já faz um bom tempo que não vendemos cm/col, segundos ou views. Vendemos soluções estruturadas de mídia para contribuir com fortalecimento das marcas e ampliação do share das mesmas. Essa nova realidade, fundada pela era digital, também promoveu uma mudança nos profissionais de vendas, permitindo ampliar nossas qualificações e contribuições para o negócio dos nossos clientes e para a organização que trabalhamos.

Diante do conjunto de informações e ações desenvolvidas no meio digital, quero voltar um pouco para o início, lá na geração analógica, que carrega consigo a experiência do diálogo, da proximidade e da relação ganha-ganha.

Isso continua e continuará fazendo a diferença em todas as nossas relações.

Esse novo universo que começamos a vivenciar nesse século XXI nos impõe a reinvenção eterna e me faz lembrar uma frase curta do historiador Leandro Karnal: "Faça, porque se você não fizer, em breve, o resto será silêncio".

Claudia Praetzel é gerente de Negócios do Grupo RBS.

Comments