Uma surpresa dos filhos e das filhas para a Mãe Jurema

Por Márcia Martins

Não sei quem usou a expressão "Mãe Jurema" pela primeira vez. Mas quando fui trabalhar na Reportagem do Correio do Povo, na equipe da tarde, em dezembro de 2004, a jornalista Jurema Josefa já era carinhosamente chamada pelos colegas do jornal de "Mãe Jurema". Eu a conhecia do nosso tempo juntas na Editoria de Economia de Zero Hora, só que lá havia outra relação. E também ao entrar em Zero Hora, meu pai, que fora colega dela nos impressos da Caldas Júnior, sob a gestão de Breno Caldas, fez rasgados elogios à Jurema. Apesar deste conhecimento prévio, nada se compara à convivência que tivemos no Correio do Povo.

Naquela redação, como chefe de reportagem, Jurema Josefa, ao chamar alguém da equipe para distribuir as pautas, consagrou duas frases que todos repórteres que trabalharam com ela repetem: "jovem, me dê essa força" e "compareça ao front". Mas ela tinha um jeito de dizer muito maternal que fugia de qualquer tom autoritário. Precisava mandar com rigor que a equipe da tarde cumprisse as pautas e fazia isso sem perder a ternura. Cobrava maior agilidade, quando era necessário. Apontava com amabilidade algum equívoco na forma de conduzir a pauta. E entendia com compreensão as encrencas particulares de cada um de seus filhos e suas filhas.

Por isso, no início de maio, uma mobilização no whats para organizar uma festa surpresa de aniversário de 75 anos da Jurema teve uma adesão surpreendente. Cada jornalista adicionado ao grupo de whats lembrava de mais algum que havia, em algum momento de sua vida profissional, cruzado com a Jurema, e a lista de confirmados para o aniversário foi crescendo. Como não poderia deixar de ser, o grupo foi batizado de "Filhos e Filhas da Mãe Jurema". Ali, fizemos a vaquinha para comprar o presente, o bolo da festa e demais itens necessários para o almoço que chegou a ter 75 pessoas confirmadas. E mais uns 30 jornalistas impossibilitados de ir no encontro, que assinaram o cartão.

No domingo, 21, a ansiedade estava visível nos olhos dos que aguardavam a chegada da Jurema no local escolhido. Neste quesito, tivemos a colaboração do marido da aniversariante que guardou o segredo, não revelando nada, nem mesmo quando ela estranhou o caminho que o carro fazia, porque ela pensava que iria num churrasco na casa do filho. Presente embalado, cartão assinado, bolo lindo com o nome da Jurema e a idade que ela completava e demais surpresas apenas esperando a entrada da homenageada.

A surpresa dos filhos e filhas da Mãe Jurema provocou emoções variadas, lágrimas derramadas e sucessão de abraços e homenagens, que começaram um pouco antes das 13h, quando a aniversariante chegou ao evento, e seguiram-se no decorrer da tarde.

No mundo tão competitivo da Comunicação, quem seria capaz de congregar em menos de um mês um número significativo de colegas (alguns aposentados e outros em plena atividade)? A Mãe Jurema! No mundo de egos tão elevados como o do Jornalismo, quem conseguiria reunir tantos colegas com um único fim? A Mãe Jurema! Simplesmente porque a Jurema Josefa foi mais do que uma colega. Foi líder, mestre, companheira de todas as horas e amiga. Sempre disposta a ajudar, a ouvir, a aconselhar.

Como disse o texto lido no aniversário: "um jornal é formado por gente, pessoas, são elas que se transformam no couro, na alma e no coração do veículo de Comunicação". E todos que trabalharam com a Jurema, aprenderam a lição. Obrigada Jurema Josefa por tanto.

Autor
Márcia Fernanda Peçanha Martins é jornalista, formada pela Escola de Comunicação, Artes e Design (Famecos) da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), militante de movimentos sociais e feminista. Trabalhou no Jornal do Comércio, onde iniciou sua carreira profissional, e teve passagens por Zero Hora, Correio do Povo, na reportagem das editorias de Economia e Geral, e em assessorias de Comunicação Social empresariais e governamentais. Escritora, com poesias publicadas em diversas antologias, ex-diretora do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Sul (Sindjors) e presidenta do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher de Porto Alegre (COMDIM/POA) na gestão 2019/2021. E-mail para contato: [email protected]

Comments