Vai passar

Por Fraga

Tudo passa. Passam os ministros, até as passadeiras passam.
Passam as carreatas por uma avenida e os carros fúnebres por outras. Passam da conta as contas. Passa o tempo e os passatempos ficaram ultrapassados. Passam as nuvens lá no alto, passageiras até se aglomerarem para um temporal. Passa o protocolo da bandeira vermelha para a preta. Passam os pássaros em bandos e debandadas, vão pousar no passado. Passam as passas, vencidas no fundo da despensa. Passa o rio fedido e fodido pra morrer no mar morto. Passa o afiador de facas, que passa a flauta de pan na boca. Passam os plantões no caos hospitalar que não passa. Passa um assaltante fugindo do assaltado mas a polícia não passa. Passou o Natal, passou o Ano Novo, passou Carnaval, a Páscoa vai passar, mas a verdade é que até agora nada disso passou. Passam os espíritas e seus passes pra passarmos bem. Passa o noticiário pelos telespectadores passivos ou impassíveis. Passam os prazos, vazando pelo calendário. Passa a modelo na rua, a passarela que sobrou na quarentena. Passa a pressa e a pressão não passa. Passam marinheiros em passadiços no cais. Passo a passo passa o marca-passo e tem que recarregar a bateria. Passa sem ser lembrada a data inesquecível. Passa um cavalo na madrugada, sem deixar rastro
no asfalto, apenas nos tímpanos. Passam sirenes irreconhecíveis entre si, se são chamadas por chamas ou chusmas. Passam as passamanarias, saindo de moda. Passa trem, passa boiada, mas isso só gente antiga via. Passa o álcool gel nas mãos, pra não passar a covid adiante. Passa o pior, mas logo o pior piora e o pior passa a não passar. Passa o passaralho, só o primeiro emprego não passou ainda. Passa grana por baixo do pano e a corrupção nunca passa. Passa merda na tevê 24h mas chamam de reality show. Passam a datas da vacinação, e a minha não chega. Etc.

Autor
Fraga. Jornalista e humorista, editor de antologias e curador de exposições de humor. Colunista do jornal Extra Classe.

Comments