Campanha do Sine da Prefeitura da Capital nas redes sociais divide opiniões

Card de anúncio de vaga de emprego traz a imagem da capa de um disco do É o Tchan, de 2001

Campanha divide opiniões

Uma postagem que entrou no ar na fanpage do Facebook da Prefeitura de Porto Alegre neste domingo, 23, deu o que falar e dividiu opiniões de internautas. O card traz a capa do disco 'É o Tchan - Turma do Batente', da banda baiana de axé É o Tchan, com os dizeres: 'Atenção, turma do batente! Confira vagas no Sine'. A ação foi produzida pela equipe de Mídia da Secretaria Municipal de Comunicação (Secom-RS), coordenada pelos jornalistas Mariana Muniz e Matheus Beust.  

Até o momento da publicação desta nota, a postagem tinha 1,4 mil interações, das quais 531 curtidas, 410 achando o post engraçado, 419 com 'raiva' da mensagem e 54 'amando'. Ainda, apresentava 1,3 mil comentários e 519 compartilhamentos. "As redes sociais se tornaram um dos maiores alicerces da comunicação institucional. De um jeito leve e mais próximo da população, órgãos públicos conseguem levar a informação para quem mais importa: as pessoas", comentou o secretário municipal de Comunicação, Orestes de Andrade Jr., em conversa com Coletiva.net.

O jornalista explicou que todo domingo são anunciadas vagas de emprego oferecidas pelo Sine Porto Alegre, no entanto, o resultado, geralmente, tem tido pouca repercussão. "Nesta semana, a minha equipe resolveu ousar mais, utilizando uma referência que se tornou icônica da música brasileira, uma alusão óbvia e inusitada (daí a repercussão) em uma postagem (não anúncio) que falava sobre vagas de emprego no Sine da Capital", comentou. "A equipe cumpriu a minha orientação de buscar uma comunicação leve, criativa, insólita, com referências da cultura pop e do dia a dia. Tudo que minha equipe não pode fazer é uma comunicação burocrática, engessada e chata!", complementou.

Sobre a repercussão negativa, Orestes, que diz ser "impossível agradar a todos", destacou que o sucesso da postagem está nos números. "É preciso audácia e imaginação para trabalhar com redes sociais, disputando a atenção de milhões de postagens por minuto", defendeu. Segundo ele, na análise dos comentários feita pela empresa Plugar, há uma divisão entre quem gostou e não gostou, porém, os que gostaram mostraram mais engajamento, marcando vários amigos. "Alcançamos, sem impulsionamento pago, 140 mil pessoas, com quase 40 mil envolvimentos. Com publicações mais comportadas, a média de alcance nos últimos dois meses era de 14 mil pessoas e um envolvimento quase desprezível. Ou seja, aumentamos em 10 vezes o número de pessoas alcançadas com esta postagem 'polêmica'", comparou.

Coletiva.net também ouviu o presidente do Sindicato das Agências de Propaganda no Rio Grande do Sul (Sinapro-RS), Fernando Silveira, que lamentou a escolha de imagem por parte da Prefeitura. "Isso demonstra, mais uma vez, a falta de entendimento e ausência de uma agência de comunicação para dar essa orientação", pontuou, lembrando que, desde que assumiu, em 2017, o Governo Marchezan não trabalha com empresa de publicidade. "O humor é ótimo na comunicação e deve ser usado, mas tudo tem hora. A gente não brinca em determinadas situações e uma delas é no que se diz respeito à busca por trabalho em um país que vive um momento de desemprego bem grande", comentou o dirigente.

Fernando declarou que não condena o fato de a ação ter sido produzida internamente, mas, para ele, certamente, os gestores da Comunicação na Prefeitura deveriam controlar o que está sendo postado e comunicado. A questão do direito de imagem também foi questionada: "É aquela velha história de que se está na rede dá para usar. Isso não é fato. Tem imagem e o direito deve ser respeitado", sentenciou. "Provavelmente, uma empresa de publicidade se negaria a assinar uma peça que não tenha direito de imagem resolvido. Foi um erro grosseiro sob qualquer ponto de vista. A peça é ruim, não é engraçada, foi usada de forma inadequada e, se gerou polêmica, foi só pelo lado negativo", frisou.

Sobre isso, Orestes disse que a imagem do CD é pública e foi utilizada jornalisticamente. "Não tivemos qualquer interesse de explorar economicamente a imagem, mas, sim, informar as pessoas de maneira leve e divertida sobre a abertura de 142 vagas de emprego no Sine", encerrou.

Veja alguns comentários:

Michelen Oliveira - Péssimo gosto para variar. Galerinha de propaganda/comunicação/marketing, ou gestores destas "campanhas" devem estar com algum probleminha na cabeça, não podem estar normais.

Tanara Del Pino - Sério alguém explica isso! O maior deboche do povo e da crise que estamos vivendo. Eu estou CHOCADA!!!

Artur Duarte Peixoto - Deboche com trabalhadores desempregados!?!? Propaganda de extremo mal gosto. Mas condizente com a gestão do atual prefeito!!!

Estacio Louzada - Cidade jogada as traças e me vem uma campanha publicitária vergonhosa dessas .... Credoooooo

Kelly Barcellos - Se não tem humor, falam que é chato... se tem, reclamam que estão engraçadinhos.

Micheli Cunha - As vzs é preciso ousadia! Sempre havera criticas, pessoas que não entendem, ainda mais num estado tao tradicionalista! Bora sair da caixinha!

Tati Robalski - Pode até ter sido incoerente o post! Mas que foi legal e bem criativo foi, temos q concordar!!!!! Luz na passarela q lá vem a esperança!!!!

Talita Maciel - essa publicidade é muito bizarra, mas a informação pode nos interessar. Apesar de nao parecer oficial, foi publicada pela própria prefeitura.

Marcos Moreira - Eu não consigo fazer um juízo da postagem. Metade de mim acha que é errado. Mas a outra metade não consegue parar de rir. Hoje me abstenho.

Comments