Ministro Alexandre de Moraes volta atrás e anula censura à revista Crusoé

Publicação aguarda notificação oficial para colocar a reportagem novamente no ar

Capa da revista com aviso de censura - Reprodução

O ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes voltou atrás e anulou a sua decisão de censurar os sites da revista Crusoé e O Antagonista. A deliberação ocorre três dias após o pedido para que os veículos retirassem do ar a reportagem 'O amigo do amigo do meu pai', a qual relaciona o presidente do STF, Dias Toffoli, à empreiteira Odebrecht. Ao anunciar a medida em sua página, a revista informou que aguardará notificação por Oficial de Justiça para republicar a matéria.

De acordo com informações divulgadas no próprio site da Crusoé, o cancelamento da medida de censura, tomada na última segunda-feira, 15, por Moraes, deu-se após o decano da corte, ministro Celso de Melo, distribuir uma nota pública criticando a decisão do colega. Moraes, no entanto, revogou após tomar conhecimento de que o documento utilizado pela reportagem da Crusoé havia sido, de fato, entregue à operação Lava Jato.

Ainda no site da revista, os jornalistas Mario Sabino e Rodrigo Rangel assinam uma nota pública sobre o fim da censura, na qual agradecem a solidariedade dos leitores nestes últimos dias. "Os nossos agradecimentos são extensivos a todos os jornais, revistas, emissoras de rádio e TV, sites e jornalistas na pessoa física, que se uniram ao nosso protesto mostrando o absurdo da decisão do ministro do STF e exigindo que a liberdade de imprensa fosse plenamente restabelecida. (...) Agora é enfrentar o inquérito inconstitucional", registram.

Leia mais em Coletiva.net:

Entidades seguem repudiando censura à revista Crusoé

Entidades de imprensa concordam: "Decisão do STF configura censura"

Comments