Projeto Comprova lança aplicativo para compartilhar verificações

Desenvolvida com financiamento do Google, ferramenta oferece dicas para evitar a disseminação de desinformação

Projeto Comprova é liderado pela Abraji - Crédito: Divulgação

O Projeto Comprova, iniciativa colaborativa de verificação de fatos formada por 43 veículos de Comunicação brasileiros, anunciou o lançamento de um aplicativo para ajudar usuários de smartphone a detectarem desinformação. Com a primeira versão já disponível para download, a ferramenta foi desenvolvida com financiamento do Google. O serviço permite que os cidadãos acompanhem as checagens publicadas pela iniciativa e oferece dicas para evitar a disseminação de notícias falsas. 

Por meio do aplicativo, os usuários ainda podem enviar sugestões de conteúdos suspeitos. Além disso, a segunda versão, que estará disponível em até duas semanas, trará a possibilidade dos cidadãos fazerem investigações em imagens, por meio de um recurso de busca oferecido pela ferramenta. Com isso, espera-se que o serviço possa ser utilizado por professores para orientar exercícios de checagem com turmas de Educação Midiática.

Segundo a presidente da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) - entidade que lidera o Comprova -, Katia Brembatti, a ferramenta surge com o objetivo de fazer o projeto alcançar mais pessoas, em diferentes plataformas. "O combate à desinformação exige esforços em várias frentes. O aplicativo é uma forma de estar presente nos celulares", pontua. 

Em complemento, Marco Túlio Pires, um dos coordenadores da Google News Initiative no Brasil, destaca o lançamento do serviço durante o período eleitoral. "O aplicativo representa mais um sucesso na história de parceria que temos com o Comprova e chega em um momento muito importante do País. Agora, o brasileiro vai poder acessar conteúdo checado sobre as eleições diretamente na tela do seu celular", afirma.

Projeto Comprova

O Projeto Comprova é uma coalizão de veículos de Comunicação formada em 2018 para investigar a veracidade de conteúdos suspeitos sobre as eleições presidenciais disseminados em redes sociais. Desde então, a iniciativa já publicou mais de 800 reportagens investigativas e seus profissionais treinaram mais de cinco mil jornalistas e estudantes. Em 2022, participam do projeto 43 organizações de mídia de todas as regiões do Brasil, entre sites de notícias, rádios, TVs e jornais.

Comments