Semana da Mulher: Mocita Fagundes

Dentre as mulheres, diretora da Mythago teve o perfil mais lido de todos os tempos no portal Coletiva.net

Mocita Fagundes, na direção do set, antes da pandemia

Nesta segunda-feira, 8, o mundo inteiro celebra o Dia Internacional da Mulher. A data é para comemorar as conquistas delas no mercado de trabalho, na busca por sua independência, de ter suas vontades e desejos ouvidos. É um dia também de celebrar a luta na busca pelos direitos que ainda faltam serem conquistados, entre eles, o respeito, como citou Mocita Fagundes nesta conversa com o Coletiva.net.  

A entrevista com a diretora da Mythago integra a 'Semana da Mulher', um conteúdo especial que o portal realiza nestes cinco dias como uma forma de homenagear todas elas. Para tanto, a reportagem conversou com as cinco profissionais que tiveram os perfis mais lidos em toda a história do Coletiva.net. Nada melhor do que, na data comemorativa, começar com a que está no topo da lista. 


Confira o bate-papo:

Mocita Fagundes

Diretora da Mythago

Perfil mais lido de todos os tempos no Coletiva.net

 

1 - Quem é Mocita Fagundes?

Essencialmente, sou tri realizada! Me sinto uma mulher tri bem resolvida. Tenho uma saúde tri boa, sou casada com um homem lindo (risos), tenho três filhos de caráter incontestável e trabalho em um mercado que eu escolhi (e que me acolheu) há 30 anos. Óbvio que nada é "cor-de-rosa". Sou um caos criativo! Sou tri agitada! 

Nunca dei muita importância para bens materiais - preferindo pegar minha mochila e viajar por aí.

Eu me divido em antes e depois da pandemia. Ela me trouxe "urgências", afetivas e profissionais. O "ficar em casa" fez eu me reconectar com minha família, com a minha casa, meu espaço. Fez eu valorizar a presença da minha filha (os outros filhos não moram no Brasil), querer morar com meu marido em definitivo (por causa do trabalho - moramos em cidades diferentes), fez eu ter pressa. Pressa, inclusive, de resolver as questões da produtora. A Mythago é a minha casa, a casa dos meus clientes, parceiros e colegas. Sou uma profissional incansável, que tem a responsabilidade de buscar soluções para os clientes continuarem anunciando. E vou continuar fazendo isso! A Mythago fez mais de 70 filmes com foco na reinvenção de 2020. Estou preparada para 2021.

2 - Qual é o sentido do Dia Internacional da Mulher na tua vida?

Todo o sentido! Importante e necessário lembrar o quanto ser mulher é socialmente difícil. O quanto somos f**. (desculpa o palavrão, não acho outro significado que demonstre a intensidade do que estou falando). O quanto precisamos e merecemos respeito. É uma data que mexe comigo. 

Eu gosto de ser mulher. Gosto do universo feminino e tudo que permeia e me conecta à essência feminina. Adoro trabalhar com colegas que são ou se identificam mulheres. Tu sabes que eu não sei como nunca me apaixonei por uma mulher? De tanto que eu admiro!

3 - Como é ser mulher no mundo da Comunicação?

Sinceramente, sempre me senti tri bem acolhida no mercado publicitário. Acho a nossa área de atuação muito acessível nesse sentido. Nunca senti dificuldades por ser mulher ou algum preconceito por parte de colegas ou clientes. Sempre me senti muito à vontade fazendo o que eu faço e sempre soube me impor. 

Durante muito tempo, aqui no Sul, eu fui a única "diretora mulher" na área publicitária. Só me caiu a ficha há pouco. Fui bater um papo com alunos da ESPM sobre direção de cena e na sala tinham uns 80 alunos. Perguntei: "Gente, cadê as mulheres?" A maioria era de homens. E eu sempre achei que esta função é uma atividade tão inspiracional! Mexe com os sentidos, com sensibilidade, que exige força, carinho? tudo tão feminino! Cadê as mulheres na publicidade? Agora, já temos algumas excelentes profissionais, mas na minha época não havia. Pra mim, é um eterno desafio.

4 - O que sentes ao saber que tua história está entre as mais lidas em Coletiva.net?

Sério? Eu juro que nunca me passou pela cabeça isso. Acho maravilhoso, né? Sinal que, de algum jeito, consegui "tocar o coração" das pessoas. Tem tanta gente no nosso mercado que me inspira! Tanta gente que eu admiro! Gente que eu sonhava em trabalhar e que hoje são amigos. Então, é muito legal saber que a minha história pode ser inspiração para alguém. Só posso agradecer o carinho.

5 - O que desejas para todas as mulheres?

Em primeiro lugar, força para aguentar tudo. Mulher é mãe, é gestora, é esposa, é tudo. Muitas vezes é cansativo. E os gatilhos que nos levam a ter essa "força extra" devem ser diariamente exercitados. A força é resultado desses gatilhos do dia a dia. É a criação de um filho, uma viagem, uma reunião importante, uma mudança de vida ou uma conquista amorosa. Para mim, os gatilhos me dão força e determinação. É como uma maratona. Tu cruzas a linha de chegada e ganhas a tua medalha. Desejo liberdade também. Ser livre pra ser o que quiser, sem julgamentos, sem a preocupação em ter que agradar aos outros. A liberdade nos torna mais leves, sem dúvida. 

Felicidade. Óbvio que não se é feliz sempre, mas felicidade é um modo de enxergar as coisas, é a vontade que dê certo, é ter prazer, é curtir os momentos. Viver é tão bom! Desejo muita felicidade a todas as mulheres. Não é difícil quando se quer.  Saúde, saúde e saúde, e vacina. Cuidem-se, protejam-se. Tudo isso vai passar. E, quando passar, dançaremos muito, nos abraçaremos muito, vamos chorar e rir muito também. Somos mulheres, "tudo junto e misturado". E que os homens se virem para nos acompanhar! Porque ser mulher é tudo isso. Ainda bem.

Comments