Governo do RS e Banrisul anunciam investimentos de R$ 25 milhões para setor cultural

Estabelecimentos que foram afetados pela enchente receberão apoio financeiro do banco

Banrisul realiza doação financeira para o setor cultural do RS - Crédito: Divulgação/Maurício Tonetto/Secom

Em cerimônia realizada no Museu de Arte do Rio Grande do Sul (Margs), o governo do Estado e o Banrisul anunciaram a realização de um investimento para o setor cultural que foi afetado pelas enchentes. No pronunciamento, foi afirmado que o banco destinará mais de R$ 25 milhões para a recuperação de instituições da Secretaria da Cultura (Sedac) e para iniciativas de retomada de trabalhadores e projetos da área. Além dessa iniciativa, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) também investirá R$ 59,5 milhões para apoiar microempreendedores individuais e microempresários da Cultura.

Entre parte dos valor destinado pelo banco, R$ 15 milhões, será direcionado para a recuperação das instituições da Sedac afetadas pelas enchentes, como o Margs, a Casa de Cultura Mario Quintana (CCMQ), a Cinemateca Paulo Amorim (na CCMQ), o Memorial do Rio Grande do Sul, o Museu da Comunicação Hipólito José da Costa (MuseCom) e a Orquestra Sinfônica de Porto Alegre (Ospa), todos na capital; e o Museu Estadual do Carvão, em Arroio dos Ratos, no interior do Estado. Um levantamento preliminar realizado pela Sedac identificou a necessidade de investimentos de pelo menos R$ 14 milhões para recuperar os equipamentos culturais impactados.

Essa ação está integrada ao Plano Rio Grande, programa de reconstrução, adaptação e resiliência climática do Estado. Movimento que tem como intuito planejar, coordenar e executar ações para enfrentar as consequências sociais, econômicas e ambientais da enchente histórica.

O governador Eduardo Leite, destacou em seu discurso o quanto a cultura e o trabalho realizado pelas pessoas que exercem suas atividades nesse setor é importante e ressaltou o apoio que o banco está promovendo com suas doações. "O Banrisul é um banco que compreende a realidade do Estado. Vamos superar essa crise, com o vigor de pessoas e instituições que não se resignam diante das dificuldades", comenta.

Para o presidente do Banrisul, Fernando Lemos, a iniciativa do banco na área cultural é especial e histórica, pelo fato de estarem agindo de forma diferente, como foi na época da Covid-19. "Esse é o ato mais importante da história do Banrisul, pois estamos realizando um investimento nunca feito pela instituição na área da cultura. Na pandemia, a cultura foi a primeira a parar e a última a retornar. Agora vai ser uma das primeiras a retornar", afirma.

Além desse investimento de reconstrução, o valor também será destinado para eventos, entre eles o Festival Emergencial de Artes Cênicas do RS, promovido pela Sedac, Instituto Estadual de Artes Cênicas (Ieacen), Fundação Teatro São Pedro e Associação de Produtores de Teatro do Brasil. Realização que acontecerá de 19 a 27 de julho, no Theatro São Pedro conta com apoio financeiro de R$ 523 mil. Esse festival conta com campanhas de doações e experiências artísticas para a sociedade, com ações presenciais e digitais selecionadas por uma curadoria emergencial. Tendo como objetivo apoiar artistas e técnicos gaúchos do teatro, dança e circo.

A titular da Sedac, Beatriz Araújo, comenta a angústia que teve quando foi no museu Margs e que por mais que o atual momento seja de muita tristeza, essa ação possibilita um retorno breve para o setor cultural do Estado gaúcho. "Para chegar aqui nas últimas vezes em que estive aqui no Margs, vim de bote e com água pela cintura. Hoje podemos vislumbrar o resgate das nossas instituições e a retomada da cultura gaúcha. Deixo aqui a minha gratidão ao Banrisul e ao governo estadual, sensíveis à cultura, um setor que tem feito a diferença no nosso Estado", ressalta.

 

Comments