Movimento #SóJuntos, da Parceiros Voluntários, propõe rede colaborativa para a união da sociedade

Campanha é assinada pela Star Produtora, de Porto Alegre, e pela Propaganda Futebol Clube

#SoJuntos - Divulgação

Com a crise que pandemia de Covid-19 trouxe ao País, a ONG Parceiros Voluntários, com o intuito de fortalecer uma rede de solidariedade, criou o movimento '#SóJuntos', em parceria com diversas empresas brasileiras. Veiculada nas redes sociais, a campanha é assinada pela Star Produtora, de Porto Alegre, e pela Propaganda Futebol Clube (PFC). O tema central é pensar a partir da discussão atual, "ficar em casa?" ou "sair de casa?", e tem o objetivo de unir os dois lados destas perspectivas e pensar no coletivo, assim, 'só juntos teremos um lar'. 

Para Daniel Santoro, presidente do Conselho de Administração da Parceiros Voluntários, a conjectura brasileira pede que a polarização e a busca por ter razão seja deixada de lado, para que o bem maior possa ser alcançado. "Não é mais hora de discutir quem está certo, é hora de a humanidade trabalhar. Somente juntos, com atitude e cuidado com o todo, salvaremos mais vidas, mais empregos, mais empresas e mais famílias ". O objetivo é despertar a consciência da responsabilidade social individual e criar uma sociedade mais unida. A rede de solidariedade construída pela ONG inclui a colaboração de 2.675 empresas, 2.926 organizações sociais, 3.262 escolas e milhares de pessoas mobilizadas que se inspiram pela necessidade de contribuir.

A Parceiros Voluntários, segundo Daniel, entende que setor empresarial vem se mostrando cada vez mais consciente de seu papel na sociedade. Além de ser um motor de crescimento econômico, precisa gerar resultado financeiro acompanhado de criação de valor para a sociedade e respeito ao meio ambiente. Por isso, o movimento #SóJuntos foi lançado com o apoio de diversas empresas como a Claro, Gerdau, Dinamize, BTG Pactual, CWA, Tozzini Freire, COFCO, Star Produtora e IRHoden. Os Grupos de Comunicação SBT-RS, Rede Pampa, Record-RS, BAND RS, Grupo LZ e Ativa e Mídia. As ONGs Arela, Gife e Caçadores de Bons Exemplos. As Universidades IMED, e a Associação Comercial de Porto Alegre.

Para José Alfredo Nahas, superintendente da ONG, o movimento é aberto para a participação de todos interessados: "Será possível despertar em cada uma das pessoas o senso de responsabilidade social, congregar o maior número de empresas e instituições no engajamento desta ideia e, assim, o movimento possa mobilizar toda a sociedade". Interessados podem entrar em contato pelo telefone (51) 99957.8262 ou pelo e-mail [email protected].

Comments