Presidente do Sistema Ocergs expôs radiografia do cooperativismo no RS no Tá na Mesa

Vergilio Perius destacou que crédito cooperativo registra quase 40% em captação de recursos

Simone e Perius no Tá na Mesa - Reprodução/Federasul

O presidente do Sistema Ocergs, Vergílio Perius, participou do Tá na Mesa, da Federasul, nesta quarta-feira, 1º, e apontou que o sistema cooperativo gaúcho registrou a cifra de R$ 48.9 bi, em 2019, um crescimento de 1,4% comparado a 2018. De acordo com o dirigente, a meta é alcançar a marca histórica de R$ 50 bi neste ano.

Conforme apresentado, os ramos de saúde e infraestrutura, que somam cerca de 2.34 milhões de associados, os lucros chegam a R$ 2.4 bilhões. Por sua vez, no segmento crédito/bancos (o Rio Grande do Sul tem 87 cooperativas de crédito) os repasses de lucros aumentou 13%, ou seja, R$ 1.4 bi. Perius informou ainda que o total em depósitos a vista e a prazo cresceu 36%, sendo 23% a vista (R$ 4.6 bi) e 13%  a prazo (21,3 bi). As cooperativas de agronegócio no Estado concentram concentram mais de 50% de todos os empregos do Sistema, contabilizando 37,2 mil empregos e movimentou R$ 31.3 bilhões.

No evento online, conduzido pela presidente da Federasul, Simone Leite, Perius também compartilhou as ações do Sistema no combate ao coronavírus e as perspectivas para o pós-pandemia. O núcleo de Boas Ações movimentou R$ 109 milhões, distribuídos em R$ 21.3 mi para linhas de crédito; R$ 14 mi em repasses para saúde; R$ 15 mi em um fundo para COVID; R$ 37 mi no adiantamento de sobras; R$ 5.1 mi em isenção de taxas; R$ 4.3 mi em assistência técnica e mais de R$ 2 milhões em doação de alimentos. Além disso, R$ 9 mi foram para investimentos de ampliação.

Conforme a Expressão do Cooperativismo 2020 - que reúne os dados apresentados por Perius - os Ativos do sistema cooperativo gaúcho registrou, em 2019, uma valorização de 2,8%, representando R$ 76,4 bi.

No que se refere às perspectivas de pós-pandemia, Perius destacou que a retomada está diretamente ligada à construção civil e disse acreditar que a economia voltará a girar por meio de cooperativas habitacionais. Para ele, a Região Metropolitana de Porto Alegre apresenta grande potencial para construção de casas com infraestrutura completa. "Esse projeto, que é um sonho meu, proporcionará emprego e renda para quem, hoje, está sem trabalhar. É necessário, sempre, que tiremos lições positivas, mesmo em um universo de negativas", finalizou.

 

Comments