Chargista Gabriel Renner volta a atuar no Jornal NH

Profissional ocupa a coluna de Tacho, que morreu no início do mês

Gabriel com o chargista Tacho.

O Jornal NH tem um novo chargista. Gabriel Renner fez seu primeiro desenho na semana passada, dia 11, e desde então passa a ocupar a coluna antes dedicada a Tacho, desenhista que faleceu no dia nove de fevereiro. Em conversa com o Coletiva.net, Gabriel explicou que tinha o desejo de voltar a atuar no Jornal NH, onde começou a carreira, mas que gostaria de trabalhar com ele e, não, sem.

"Me disseram lá dentro que teria sido uma escolha feita por ele, além de justa, pela convivência que tive e todos os ensinamentos que ele me passou. Além do mais, eu coloquei em prática o que aprendi com ele, e levei para outros jornais em forma de humor desenhando. No começo, fiquei feliz e triste ao mesmo tempo. Perdi minha mãe recentemente, em 3 de janeiro, de ataque fulminante, e perdi o Tacho, que era um pai, em 9 de fevereiro", ressaltou.

O chargista complementa que, apesar da falta física do profissional com quem conviveu um bom tempo, ele sente o carinho dele. "Me sinto honrado por ocupar esse espaço, e vou fazer da melhor forma possível. Diariamente, penso em que ideia o Tacho poderia estar tendo, e é bacana essa conexão que desenvolvo diariamente ao pensar nele".

A volta para onde tudo começou

O novo integrante do Grupo Sinos retorna para o veículo onde começou a sua carreira. No início de 2000 ele participou da montagem da então nova impressora rotativa vinda da Alemanha. Como ele sabia falar alemão, fez amizade com os engenheiros que vieram da Europa para montá-la. 

"Eu desenhei uma história em quadrinhos sobre os meses que envolveram a montagem desta máquina, misturando todos os envolvidos de forma cômica", contou. O então chefe da parte industrial e quem executou toda a mecânica operacional para a instalação da rotativa levou os seus desenhos para o Tacho e o Sinovaldo "que, tempos depois, me tiraram da tinta e engrenagens do parque gráfico e me levaram para a tinta e computadores da redação".  

Sob a supervisão de Tacho, ele trabalhou de 2001 e 2007 como ilustrador e infografista, além de desenvolver tiras diárias como 'Fadas LTDA', 'Homem Parasita', 'O mundo de pira' e 'Vida videoclipe' para todos os jornais do grupo.

"Nessa época, com 22 anos, minha cabeça fervilhava com tudo que estava aprendendo e praticando, e vendo de perto o Tacho desenhando as charges, as mesmas charges que eu olhava no jornal desde criança", comentou.

Após seis anos em Novo Hamburgo, Gabriel se transferiu para Porto Alegre, para trabalhar como infografista da Zero Hora e fazer tiras e charges para o Diário Gaúcho

"A última vez que encontrei o Tacho, ele me tratava como um profissional feito, e isso me deixou muito feliz. Lembro que ele se despediu nesse dia, dizendo '...mas nunca esquece do teu trabalho autoral, sempre curti as tuas fadas?' ", lembrou.

Primeira tira de Gabriel Renner na sua volta ao Jornal NH. Crédito: Reprodução/Jornal NH

Comments