Inquietude para encontrar novos modelos marca 2018 do Sinapro-RS

De acordo com Fernando Silveira, foi um ano de espera e manutenção do negócio

Fernando Silveira avalia ano do Sinapro - Divulgação

Em entrevista ao Coletiva.net, o presidente do Sindicato das Agências de Propaganda do Rio Grande do Sul (Sinapro-RS), Fernando Silveira, afirmou que 2018 foi um ano de espera e de manutenção do negócio. "Não tivemos grandes investimentos, mas uma inquietude para encontrar novos modelos", disse, ao revelar a busca da entidade para o meio da Publicidade voltar a ser mais competitivo e relevante para os clientes. Esses, para ele, também estão em busca de inovação.

Com a base de associados praticamente inalterada, o Sinapro-RS consolidou, para o presidente, o papel da entidade frente ao poder público em diversas áreas. O destaque, contudo, é o respeito aos editais de escolha das agências. Fernando ainda ressaltou a ampliação de benefícios aos associados, bem como a forte discussão em relação à Reforma Trabalhista. "Estamos de olho no que isso traz de novidades para os negócios de nossos associados. A partir disso, prospectando o lançamento de uma base para o novo Acordo Coletivo da categoria que seja vantajoso pra todos", abordou. 

Apesar da entidade não ter o objetivo de lucrar, olha para o mercado da Publicidade com o desafio de faturar de uma nova forma. "Não podemos mais contar com as verbas administradas por anunciantes. Portanto, é necessário se centrar no quanto as agências estão contribuindo para o crescimento, rentabilidade e ROI dos clientes", opinou o presidente, ao contar que mudaram o parâmetro, além de estarem dispostos a aprender a olhar esses novos números de uma forma mais positiva.

Este ano ainda foi de intenso trabalho da diretoria, que se encerra após três anos de gestão. Com Fernando novamente à frente do Sinapro-RS, ele conta que um novo grupo se compromete a dar continuidade a um trabalho de evolução da entidade, bem como da indústria como um todo. "Acho que a palavra é expectativa pelo novo momento que se desenha. Mudança sempre foi a grande oportunidade de novos negócios para o nosso mercado e terminamos o ano esperançosos", refletiu.

Para 2019, o presidente comentou também que há uma vontade geral para que o Brasil volte a crescer. E, com isso, gere consumo, emprego e renda. Segundo Fernando, isso está intimamente ligado à área e, certamente, trará grandes oportunidades para o meio. "Bons ventos nos levarão a novos mares. É uma expectativa otimista, mas dá pra acreditar em realizar", finalizou.

Comentários